Reservas de ouro mantidas pelo Banco Central da Venezuela caem para o nível mais baixo em 50 anos

Por Voa

As reservas de ouro da Venezuela despencaram para menos de 100 toneladas, a menor cifra dos últimos 50 anos, segundo informações do Banco Central da Venezuela (BCV), correspondentes ao final de junho, de acordo com o Vozes da América.

A Venezuela ainda tem 98 toneladas de ouro em suas reservas.

O Banco Central da Venezuela publica suas demonstrações financeiras todos os meses em seu site. Aparece entre seus ativos o que é mantido em reserva em “ouro monetário”. Seu valor aparece em Soberanos Bolívares. Mas aí não é especificado a que preço médio por onça se calcula o valor das reservas. Essas informações estão nas notas, ou dados anexados ao Balanço, que não são divulgados no site, pois uma rápida operação aritmética revela a quantidade exata de ouro na Reserva.

A VOA obteve cópias das notas do Balanço de uma empresa de consultoria em Miami que acompanha a situação financeira da Venezuela.

As 98 toneladas representam um colapso das reservas. Há mais de 50 anos, segundo a agência Reuters, as reservas de ouro venezuelano giram em torno de 350 toneladas. Esse montante vem diminuindo desde 2015, quando começou a crise do petróleo venezuelano.

A questão do ouro venezuelano tem sido o centro de uma disputa entre o regime de Nicolás Maduro e o do presidente em exercício, Juan Guaidó. Isso porque foi relatado que Maduro usaria as reservas de ouro para pagar ao Irã e à Turquia pela importação de alimentos e petróleo para abastecer a Venezuela com gasolina.

“O ouro é um ativo altamente exigido hoje. Muitos investem em ouro por causa do estado da economia dos EUA. Seu preço está subindo”, explicou o legislador venezuelano, Ángel Alvarado, que acompanhou a situação das reservas de ouro de seu país.

Os Estados Unidos apreenderam na sexta-feira a carga de quatro petroleiros que transportavam gasolina do Irã para a Venezuela, segundo o Departamento de Justiça, na que foi considerada a maior apreensão de combustível iraniano pelas autoridades americanas.

No final de junho, o Departamento do Tesouro sancionou os capitães de cinco navios iranianos que transportaram gasolina refinada para a Venezuela em maio.

O ouro venezuelano também foi alvo de batalhas judiciais na Inglaterra, onde a Venezuela depositou cerca de 400.000 barras de ouro de alta pureza, avaliadas em cerca de US$ 1,82 bilhão, no Banco da Inglaterra. O ouro no Banco da Inglaterra representa cerca de 31 toneladas, quase 35% da reserva venezuelana total.

Maduro tentou se desfazer de parte desse ouro para vendê-lo e, segundo ele, destinar os recursos para o combate à pandemia do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), comumente conhecido como novo coronavírus, na Venezuela. Mas o Supremo Tribunal de Justiça de Londres decidiu no início de julho que apenas o governo Guaidó pode dispor desse ouro, já que é ele quem é reconhecido pela Inglaterra como o legítimo presidente da Venezuela.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:
 
Matérias Relacionadas