Representante de Biden é preso sob acusação de pornografia infantil

Por Zachary Stieber

Um representante de Joe Biden e estrela do Netflix foi preso na quinta-feira por supostamente incitar um menor a produzir vídeos e fotos sexualmente explícitos de si mesmo, após uma investigação do FBI sobre as acusações.

Jeremiah “Jerry” Harris, 21, contatou um menino de 13 anos em dezembro de 2018 e manteve essa conexão com ele até o início deste ano, de acordo com uma queixa criminal apresentada no Tribunal Distrital dos Estados Unido, para o Distrito Norte de Illinois.

Harris teria supostamente enviado vídeos e fotos explícitos ao menor e pedido a ele que fizesse o mesmo.

Harris “reconheceu às autoridades que, de fato, recebeu aquelas fotos e vídeos da Criança por meio do aplicativo Snapchat”, de acordo com um agente do FBI que apresentou uma declaração juramentada.

A mãe do menino disse que acessou o celular do filho em fevereiro e encontrou uma mensagem de texto de Harris. Na mensagem, Harris disse que não acreditava mais que deveria ser amigo do menino e que se arrependia de algo que havia feito no passado que envolvia o menino.

Outras mensagens incluíam um pedido de Harris para que o menino o conhecesse em particular durante uma competição de líderes de torcida.

A mãe mais tarde descobriu uma pasta “apenas para meus olhos” na conta do filho no Snapchat e encontrou um vídeo de um homem negro fazendo um ato explícito. Embora seu rosto não estivesse visível, seu filho disse que era Harris. Ele também encontrou fotos explícitas de um homem negro na pasta e algumas fotos que seu filho enviou para o outro usuário.

O menino disse mais tarde à mãe que conheceu Harris pessoalmente em um acampamento de líderes de torcida em 2019 e que Harris supostamente tentou fazr sexo com o menor.

Uma mensagem do Snapchat dizia: “Você gostaria de [palavrão]?”

Um homem identificado pelas forças de segurança como Jerry Harris (esquerda) deseja fazer sexo com um menor no Snapchat. Uma foto (à direita) mostra fotos explícitas enviadas para Harris (FBI)
Um homem identificado pelas forças de segurança como Jerry Harris (esquerda) deseja fazer sexo com um menor no Snapchat. Uma foto (à direita) mostra fotos explícitas enviadas para Harris (FBI)

O menor conversou com um pediatra forense sobre seu relacionamento com Harris. Seu irmão gêmeo disse que Harris tentou pedir fotos e vídeos explícitos, mas ele disse que não.

Harris disse às forças de segurança em uma entrevista em 14 de setembro que pediu a um menor de idade fotos de sua “bunda”, apesar de saber que o menino tinha 13 anos. Ele também admitiu que solicitou e recebeu material explícito, segundo a denúncia. Ele também admitiu ter tentado fazer sexo e enviar material explícito ao menor.

Harris “admitiu ter solicitado e recebido pornografia infantil no Snapchat de pelo menos 10 a 15 outras pessoas que conhecia como menores”, de acordo com a denúncia, e admitiu ter feito sexo com um menor em um evento no ano passado.

Não ficou claro se Harris tinha um advogado.

Um porta-voz do homem disse à ABC News esta semana: “Questionamos categoricamente os processos contra Jerry Harris, que supostamente ocorreram quando ele era adolescente. Acreditamos que, quando a investigação for concluída, os verdadeiros fatos serão revelados”.

Harris deveria comparecer ao tribunal na quinta-feira.

Ele pode pegar 30 anos de prisão se for condenado.

Qualquer pessoa que acredite ter sido vítima de Harris, ou que acredite que conhece uma vítima, pode ligar para o escritório de campo do FBI em Chicago.

Uma fotografia mostra um homem identificado pela polícia como Jerry Harris (esquerda) com um menor de quem ele teria pedido material sexual. À direita está uma mensagem de texto mostrando Harris pedindo fotos do menor (FBI)
Uma fotografia mostra um homem identificado pela polícia como Jerry Harris (esquerda) com um menor de quem ele teria pedido material sexual. À direita está uma mensagem de texto mostrando Harris pedindo fotos do menor (FBI)

Harris apareceu em uma videoconferência com Biden, o candidato presidencial democrata, durante o verão.

O vídeo foi removido da conta de Harris no Instagram este mês.

A campanha de Biden não respondeu aos pedidos de comentário.

Uma família entrou com um processo no Texas esta semana contra Harris, os EUA All Star Federation (USASF) e Varsity Brands, solicitando um milhão de dólares.

A ação alega que as empresas deixaram de monitorar, contratar, reter e / ou expulsar adequadamente membros de sua organização que se envolveram em abusos sexuais.

Harris estava sob a supervisão direta da USASF, Varsity, Cheer Athletics e outros réus quando ele entrou em contato com os meninos, diz o processo.

O USASF e o Varsity não responderam aos pedidos de comentários.

Harris ganhou fama nacional depois de aparecer em um documentário na Netflix chamado “Cheer”.

A Netflix não respondeu a um pedido de comentário.

Siga Zachary no Twitter: @zackstieber

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas