Relatório do GOP afirma que vazamento do laboratório de Wuhan é a fonte do vírus do PCC

Relatório cita várias evidências para apoiar a conclusão de que o vírus vazou do laboratório de Wuhan

Por Tom Ozimek

Vários republicanos da Câmara publicaram um apêndice referente ao relatório sobre as origens da COVID-19 (pdf) publicado no ano passado, que conclui que as evidências apontam para o vazamento do laboratório chinês como a origem do surto.

O deputado Michael McCaul (R-Texas), o principal republicano no Comitê de Relações Exteriores da Câmara, divulgou o relatório atualizado (pdf) na segunda-feira, de autoria da equipe do Partido Republicano do comitê.

“Enquanto continuamos a investigar as origens da pandemia de COVID-19, acredito que é hora de descartar completamente o mercado úmido como a fonte do surto. Em vez disso, como este relatório expõe, uma preponderância nos mostra evidências de que todos os caminhos levam a WIV, “McCaul, disse em um comunicado, referindo-se ao Instituto Wuhan de Virologia (WIV), o laboratório no centro da controvérsia sobre as origens do Vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), o patógeno que causa a doença COVID-19.

O apêndice do relatório cita várias evidências para apoiar a conclusão de que o vírus vazou do laboratório de Wuhan, incluindo ações de funcionários chineses e cientistas do WIV para “ocultar ou encobrir” o tipo de pesquisa que está sendo conduzida nas instalações. Ele também citou o que chamou de informações novas e pouco divulgadas sobre protocolos de segurança frouxos no laboratório de Wuhan.

Vista aérea revela o laboratório P4 (centro) no campus do Instituto de Virologia de Wuhan em Wuhan, província de Hubei na China central, em 27 de maio de 2020 (Hector Retamal / AFP via Getty Images)

O relatório atualizado concluiu que “a preponderância das evidências sugere que o SARS-CoV-2 foi acidentalmente liberado de um laboratório no Instituto de Virologia de Wuhan em algum momento antes de 12 de setembro de 2019” e que “o vírus, ou a sequência viral que foi geneticamente manipulado provavelmente foi coletado em uma caverna na província de Yunnan, na RPC, entre 2012 e 2015”.

Ao mesmo tempo, o relatório atualizado dizia que os pesquisadores do laboratório de Wuhan, funcionários do PCC e “cidadãos americanos em potencial” estavam “diretamente implicados em planos para ofuscar informações relacionadas às origens do vírus e suprimir o debate público sobre a possível filtragem do laboratório”.

As autoridades chinesas rejeitaram a ideia de que o vírus veio de um laboratório, insistindo que ele deu um salto natural dos animais para os humanos. Um relatório de março da Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que o vírus provavelmente é de origem natural e que a hipótese de vazamento de laboratório era “extremamente improvável”, embora o Diretor-Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, tenha dito que mais estudos são necessários, que “todas as hipóteses ainda estão sobre a mesa” e que “ainda não encontramos a origem do vírus”.

A OMS pediu uma investigação de acompanhamento sobre as origens do vírus, incluindo mais estudos na China e auditorias de laboratório, mas as autoridades chinesas rejeitaram o pedido recentemente. Zeng Yixin, o vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, disse em uma recente entrevista coletiva que ficou surpreso com o pedido da OMS de uma equipe para retornar a Wuhan, chamando a ação de “não científica”.

Em maio, o presidente Joe Biden pediu aos oficiais de inteligência dos Estados Unidos que investigassem as origens do vírus do PCC, incluindo a possibilidade de vazamento de um laboratório, e relatassem dentro de 90 dias.

Siga Tom no Twitter: @OZImekTOM

Entre para nosso canal do Telegram.

Siga o Epoch Times no Gab.

Veja também

 
Matérias Relacionadas