Regime de Maduro nega entrada de missão da União Interparlamentar, denuncia oposição

Por Agência EFE

O regime venezuelano vem negando a entrada no país a uma delegação da União Interparlamentar (UIP) que visa verificar a violação dos direitos humanos de ex-deputados, denunciou na sexta-feira (18) a opositora e também ex-congressista, Delsa Solórzano.

“O presidente Nicolás Maduro teme as organizações de direitos humanos e por isso nega a entrada da UIP na Venezuela. Maduro reafirma seu pânico diante das instituições internacionais que protegem os direitos humanos”, escreveu Solórzano no Twitter.

Segundo a ex-deputada, o governo disse que não estava em condições de receber a missão por estar ocupado organizando a comemoração da Batalha de Carabobo, chave na Guerra da Independência da Venezuela.

Enquanto isso, afirmou Solórzano, “vários membros da UIP estavam prestes a embarcar em seus voos da América Latina, Europa e África”. Ela ainda lembrou que em 2016 o governo retirou a autorização de vistos aos membros da missão.

“A União Interparlamentar está estudando relatórios de mais de 140 violações: detenções arbitrárias, torturas e perdas de direitos políticos ilegais das quais os parlamentares têm sido vítimas”, acrescentou a ex-congressista.

A delegação visitaria a Venezuela na próxima semana, de segunda a sexta-feira, segundo a oposição. O parlamento, liderado pelo chavista Jorge Rodríguez, havia previamente convidado a instituição.

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas