Regime chinês se mobiliza para controlar a internet durante 18º Congresso

Chineses navegam na internet num cibercafé em Pequim em 8 de setembro de 2011. (Liu Jin/AFP/Getty Images)

Com menos de um mês para o 18º Congresso do Partido Comunista Chinês (PCC), o regime começou a apertar o controle já severo da internet, anunciando uma série de regulamentações, incluindo um bloqueio da internet, em nome da “segurança da rede”.

O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China afirmou que o bloqueio da internet será aplicado na China para garantir “a segurança da rede de telecomunicações”. O bloqueio terá início em 7 de novembro, um dia antes do Congresso, quando a nova geração de líderes do PCC assumirá o controle do regime pela próxima década.

O argumento de segurança da rede é na verdade uma desculpa para impor maior censura durante o Congresso, diz Wu Fan, editor-chefe da revista online China Affairs, numa entrevista ao Epoch Times.

O bloqueio da internet visa conter a disseminação de qualquer informação “sensível” que possa surgir durante o 18º Congresso.

O PCC já impôs bloqueios na internet doméstica antes. Por exemplo, durante os “distúrbios de massa” na província chinesa de Xinjiang em 5 de julho de 2009, o regime chinês teria cortado toda a internet e serviços de telefonia na região.

Se tais medidas extremas estão sendo contempladas no contexto do próximo Congresso Nacional não ficou claro nas reportagens oficiais.

“Medidas de segurança”

O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação emitiu várias demandas a internautas na China, segundo um recente anúncio da mídia.

Cada pessoa será responsabilizada pela segurança em cada unidade de trabalho e todos os oficiais de informação em todos os níveis devem garantir que possam ser alcançados 24 horas por dia, disse o anúncio. Emergências devem ser comunicadas imediatamente aos superiores, continuou o comunicado.

As empresas de telecomunicações estão obrigadas a estarem bem preparadas para realizar ampla fiscalização de suas redes – para o que não ficou claro.

O anúncio diz que a intenção não é fechar o acesso à internet ou bloquear o acesso a websites estrangeiros, mas apenas “garantir o funcionamento da rede sem problemas”.

O analista político Wu Fan está preocupado que um maior controle realmente seja o objetivo e que medidas possam ser implementadas para testar a reação do público a várias formas de restrição da internet, incluindo até mesmo um potencial bloqueio.

A rápida disseminação de notícias sobre agitações sociais, sem dúvida, provoca ansiedade no Partido Comunista, disse Wu Fan.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas