Publicado em - Atualizado em 10/08/2017 às 9:37

Reforma política: comissão especial da Câmara aprova “distritão” para próximas eleições

A votação dos destaques será retomada nesta quinta-feira

Deputados retomarão a votação dos destaques da proposta de reforma política na manhã desta quinta-feira (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Deputados retomarão a votação dos destaques da proposta de reforma política na manhã desta quinta-feira (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A comissão especial da Câmara que está analisando a reforma política aprovou, hoje (10) de madrugada, uma alteração do texto principal aprovado ontem (9) à noite referente à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03 e modificou o sistema eleitoral que será utilizado nas eleições de 2018 e 2020, sendo feita a partir daí pelo chamado “distritão”. De acordo com esse sistema, serão eleitos os candidatos com mais votos para o Legislativo, não considerando os votos obtidos por todos os candidatos do partido, forma que vigora no sistema proporcional usado atualmente.

A matéria original proposta pelo deputado Vicente Candido (PT-SP) previa a manutenção do sistema eleitoral vigente para 2018 e 2020 e determinava que o sistema de voto distrital misto, que adota o voto majoritário junto com o voto em lista preordenada, precisa passar por regulação do Congresso em 2019 e, após isso, estaria valendo para as eleições de 2022. A alteração foi aprovada com 17 votos a favor e 15 contra.

“Nós precisamos de um tempo para montar a distribuição dos distritos no Brasil. E o ‘distritão’ caminha para esse novo sistema, quebrando com o sistema proporcional que gerou um desgaste enorme até hoje”, afirmou o deputado Celso Pansera (PMDB-RJ).

O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) acredita que a troca de modelo na votação para o Legislativo é fundamental. “O modelo atual está esgotado. Não dá para fingir que está tudo bem e continuar com o sistema atual, vamos de ‘distritão’ na transição para um sistema misto mais elaborado e transparente a partir de 2022”, declarou.

Leia também:
Juiz que se apropriou de bens de Eike Batista é condenado
Temer recua e desiste de propor aumento do Imposto de Renda
FGTS: governo anuncia que irá dividir R$ 7 bi de lucro entre trabalhadores

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016