Realismo: construindo com ímpeto

Mesmo que o realismo esteja entrando em seu próximo renascimento, não podemos simplesmente ignorar agora a criação da arte moderna, e temos que continuar a falar.

O Art Renewal Center (ARC) foi fundado em 1999, e nós não criamos nosso website até novembro de 2000. Esperamos até ter mais de 15 mil das maiores obras de arte da história disponível para que as pessoas pudessem ver. Hoje, temos mais de 80 mil obras, com uma grande porcentagem disponível em imagens de alta resolução para estudo.

Leia também:
Realismo: Revivendo um conhecimento perdido
Realismo: incomparável expressão de linguagem universal
Realismo: a ilustração e sua conotação depreciativa

Nosso primeiro objetivo era tornar disponível para o mundo da arte, e para todos os amantes da arte, sensatos pontos de vista que se opõem à criação modernista. Mas em 2002, havia tantos visitantes perguntando onde poderiam aprender as técnicas dos velhos mestres,  que começamos a pesquisar no mundo ocidental lugares que ainda mantinham a formação clássica lecionada por educadores que haviam sido treinados em ateliê.

Até 2003, nós encontramos apenas 14 escolas desse tipo, todas muito pequenas, ensinando para cerca de 5 a 15 alunos cada. Menos de 200 alunos, em todas as escolas, estavam sendo treinados nos métodos clássicos. Em seguida, acrescentamos ao site do ARC uma listagem de Escolas de Ateliê Aprovadas pelo ARC. A resposta foi esmagadora. Em menos de 18 meses, todas essas pequenas escolas foram recebendo todos os alunos que podiam suportar, e os planos estavam em andamento para abrir muitos outros ateliês.

Hoje, existem mais de 70 ateliês aprovadas pelo ARC, incluindo escolas e academias com cursos aprovados formando milhares de estudantes – um aumento de mais de 2 mil por cento em apenas 10 anos.

Nós somos incrivelmente afortunados de estar falando juntos à beira de um dos momentos mais importantes de toda a história da arte. É muito raro as pessoas terem a oportunidade de viver através de grandes mudanças culturais das placas tectônicas subjacentes à cultura.

Nós, da comunidade de arte realista, estamos provocando uma mudança em todo o mundo referente à percepção e à definição do que constitui a grande arte. As tentativas do estabelecimento modernista falharam em silenciar-nos.

Ironicamente, ajudado pela mais moderna das tecnologias, a Internet, a verdade está disponível em mais e mais lugares. Muitos alunos das escolas aprovadas pelo ARC nos disseram como eles desperdiçaram anos e fortunas de dinheiro em departamentos de arte das faculdades. As instituições do mundo da arte devem mudar ou perecer depois de mais de um século de ruelas cegas, desvios aterrorizantes, e mente entorpecente da “arte que fala”, para impulsionar o que deveria ter sido rejeitado há muito tempo. A validade da visão modernista estabelecida finalmente está sendo questionada.

Juntos, todos nós aqui estamos pegando a tocha que foi descartada. O trabalho que temos hoje deve ser de reformar e reinstituir métodos de treinamento apropriados em toda a infraestrutura. Fazer novamente grandes obras de arte não é suficiente. Nós precisamos vendê-las e comercializá-las, e nós precisamos recuperar [com obras clássicas] pelo menos a metade dos grandes museus, que desempenham um papel indispensável na educação das pessoas de quais objetos do passado e do presente devem ser considerados os mais preciosos da sociedade e da cultura.

O século 20 foi tão prejudicial para as artes visuais, que a demanda reprimida e a necessidade por uma arte mais gratificante e significativa cresceu enormemente na sociedade, resultando no ressurgimento do realismo clássico. Estamos apenas no início da direção a qual este movimento está sendo guiado.

O realismo contemporâneo está apenas começando a reafirmar seu valor e sua importância. Os artistas realistas estão surgindo apenas para arranhar a superfície das grandes obras de arte que certamente irão emanar deste movimento que está tomando as décadas do século 21.

Então, agora, como historiadores, artistas e amantes da arte, não devemos apenas pegar a tocha e seguir em frente, mas também entender a história da arte, e dar sentido ao que tem ocorrido. Em seguida, as novas gerações de artistas terão uma base sólida fundamentada nesta verdade, e nas conquistas reais e potenciais das artes plásticas. As belas artes estão firmemente enraizadas na psique humana, pois são excepcionalmente bem equipadas para atender aos desejos e às necessidades dos seres humanos de comunicarem-se visualmente.

Temos que continuar a reescrever a história da arte dos últimos 150 anos. Temos de obter a verdade sobre os livros que estão sendo usados para ensinar nossos jovens. Devemos ensinar a validade, o poder e a beleza da linguagem visual realista.

Esta é a Parte 5 de uma série de 11 partes do discurso proferido por Frederick Ross em fevereiro de 2014, apresentado no Artists Keynote Address to the Connecticut Society of Portrait Artists.

Leia também as outras partes do discurso. Clique aqui!

 
Matérias Relacionadas