Raio-X revela múmia dentro de estátua de Buda

Cientistas descobriram o impensável poucos meses atrás, quando eles examinaram uma estátua de Buda da China, com cerca de 1.000 anos de idade: ela continha um monge mumificado que, aparentemente, morreu durante a meditação.

De acordo com a CNN, a múmia foi descoberta em uma cavidade dentro da estátua depois de um comprador privado levá-la para um especialista em restauração . Ainda não está claro quando a estátua foi levada para fora da China.

Uma equipe de pesquisadores fez uma tomografia computadorizada na estátua e encontrou a múmia. Eles observaram que os órgãos da múmia tinha desaparecido.

“Nós pensamos que seria tecido pulmonar, mas em vez disso, encontramos pequenos pedaços de papel coberto com caracteres chineses”, disse Vincent Van Vilsteren, curador com Drents Museum, à rede de televisão CNN.

A múmia foi encontrada sentada em um pacote de pano, que estava coberto com uma escrita chinesa. Eles descobriram que a múmia era um monge budista chamado Liuquan.

Mas como ele foi mumificado é um mistério. O fato pode ter ocorrido através da prática da auto-mumificação, atividade popular em países como Japão, China  e Tailândia há mais de 1.000 anos . Os restos podem ter se deteriorado e, mais tarde, terem sido colocados dentro da estátua.

Leia também:
Estátuas de Buda são vistas se movendo e emitindo luz na Malásia
Conheça a estátua budista feita de um meteorito raríssimo
• Conheça a gigantesca estátua do Buda Tian Tan, em Hong Kong

“Não era incomum os monges praticarem a auto-mumificação, mas encontrar um monge mumificado dentro de uma estátua é algo realmente extraordinário”, disse Wilfrid Rosendahl, paleontólogo alemão que liderou a pesquisa, ao Telegraph. “É o único caso conhecido no mundo.”

“Usando uma tomografia, vimos que havia um corpo perfeitamente preservado, pele e músculos dentro da estátua. É uma múmia completa, não apenas um esqueleto. Ele estava com idade entre 30 e 50 [anos]. ”

O monge foi encontrado sentado em posição de lótus, acrescentaram os pesquisadores.

“Nós suspeitamos que nos primeiros 200 anos, a múmia tenha sido exposta e adorada em um templo budista na China … só no século 14 é que eles fizeram todo o trabalho para transformá-la em uma bela estátua”, acrescentou van Vilsteren.

Rosendahl disse que o monge provavelmente morreu no processo de auto-mumificação.

“Durante as últimas semanas, ele teria começado a comer menos alimentos e beber apenas água. Eventualmente, ele teria entrado em transe, parado de respirar  e morreu. Ele basicamente ficou faminto até a morte “, disse Rosendahl.

“Os outros monges teriam colocado-o perto do fogo para secar-lo e colocá-lo em exibição no mosteiro, provavelmente em algum lugar na China ou Tibet.”

“Ele, provavelmente, ficou sentado por 200 anos no mosteiro até que os monges, então, perceberam que ele precisava de um pouco de apoio e preservação, e foi então que eles o colocaram dentro da estátua.”

 
Matérias Relacionadas