Quatro anos depois, epicentro do terremoto de Sichuan ainda devastado

Estradas danificadas pelo terremoto de Sichuan de quatro anos atrás permanecem sem reparos. (NTDTV.com)

Quatro anos atrás, grandes áreas da província de Sichuan, no sudoeste da China, foram devastadas por um forte terremoto que matou 80 mil pessoas e deixou 4 milhões desabrigadas.

O escritor chinês Tie Liu (um pseudônimo que significa “Corrente de Ferro”) fez uma visita à área que foi atingida mais fortemente no epicentro do terremoto, o condado de Wenchuan, e viu cenas tão miseráveis como há quatro anos.

Tie Liu disse à NTDTV, uma emissora nova-iorquina de língua chinesa, que apesar das doações de mais de 12,1 bilhões de dólares para a reconstrução de Sichuan, Wenchuan parece estar no mesmo estado que após o terremoto.

“Eu propositadamente passei oito dias passeando pela região tibetana afetada. O percurso começou em Lushan, depois eu fui para Tianquan Luding, e Wolong e, finalmente, para Wenchuan”, disse ele. “Ninguém se preocupou em reparar a estrada danificada.”

“Até a polícia”, continuou ele, “me disse para informar sobre a situação porque eles não têm canais para recorrer ao governo.” Ele relatou que os policiais lhe disseram que as autoridades locais são corruptas e só se preocupam com seu próprio interesse.

Muitas estradas da região estão tão danificadas que nenhum veículo pode usá-las. A curta distância entre Baleng e Wolong levou mais de 3 horas para atravessar, disse Liu.

O trecho de aproximadamente 16 quilômetros de estrada “foi totalmente ignorado nos últimos quatro anos” desde o terremoto, disse ele. “Dirigir lá era assustador e perigoso”, acrescentou ele. “Qualquer erro da parte do motorista provocaria perigo imediato”, disse ele, sugerindo que o carro mergulharia no rio próximo ou bateria numa rocha caída.

Uma local de Wolong que deu apenas seu sobrenome, a Sra. Yu, disse esperar que a mídia lançasse alguma luz sobre o mau estado das estradas da região. “Estes estradas [danificadas] estão em toda parte”, disse ela. Motoristas são submetidos a “deslizamentos de terra causados pelas fortes chuvas que podem facilmente desprender rochas soltas.”

Tie Liu observou que as estradas danificadas não são as estradas principais, portanto, as autoridades locais não se importam o suficiente em repará-las. Os oficiais só se preocupam com a vaidade dos projetos que podem ser vistos por altos oficiais do regime do Partido Comunista Chinês, afirmou ele.

Moradores incentivaram Tie Liu a coletar informações dos locais e entregá-las aos oficiais do PCC para que façam algo a respeito. Esses locais, segundo ele, lhe disseram que autoridades corruptas da região “desviaram os fundos de ajuda para comprar casas”, destacando as autoridades do Departamento de Agricultura. A Sra. Yu disse que muitas vítimas do terremoto do condado de Beichuan ainda vivem em abrigos temporários.

 
Matérias Relacionadas