Putin vota em plebiscito que abre caminho para sua permanência no Kremlin

Por EFE

Moscou, 1 jul – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, votou nesta quarta-feira em uma das seções eleitorais de Moscou, no dia decisivo do plebiscito constitucional que, se aprovado, permitirá que o chefe do Kremlin permaneça no poder depois de 2024, quando termina seu mandato atual.

Como sempre fez desde que assumiu o país, em 2000, Putin escolheu votar no colégio eleitoral localizado na sede da Academia de Ciências da Rússia, na capital russa.

O mandatário, que não usava máscara e luvas, optou por não fazer declarações aos poucos meios de comunicação autorizados a acompanhá-lo.

Ontem, Putin dirigiu-se à nação para incentivar os russos a votar.

Em todo o país, 109 milhões de russos estão aptos a votar nos mais de 96 mil colégios eleitorais.

Ao mesmo tempo, mais de 56% já participaram do plebiscito por meio de uma votação antecipada, de acordo com a Comissão Central Eleitoral (CEC), que estendeu o período de votação em uma semana para evitar multidões nas faculdades eleitorais e um possível surto de Covid-19.

De acordo com os dados mais recentes divulgados hoje, a Rússia acumula 654.405 casos do novo coronavírus, após adicionar outras 6.556 infecções confirmadas nas últimas 24 horas.

Em Moscou, foco da pandemia na Rússia, foram detectados entre ontem e hoje 611 novos casos de Covid-19, um dos números mais baixos dos últimos meses, segundo as autoridades.

No total, os russos estão votando hoje 206 emendas à lei fundamental, embora a mais importante, segundo os especialistas, seja a emenda que permitiria a Putin se candidatar à reeleição em 2024, algo que é impedido pela atual Carta Magna.

 
Matérias Relacionadas