Público chinês adquire com satisfação guia de segurança alimentar

Um chinês seleciona leite em pó num supermercado de Pequim em 9 de julho de 2010. (Franko Lee/AFP/Getty Images)Um manual de segurança alimentar disponível para download gratuito chamado Livreto de Sobrevivência da China tem atraído grande interesse no país.

O novo software oferece aos usuários uma maneira simples de organizar alimentos tóxicos e aparece nas versões da Apple e do Android. Ele se tornou disponível online em 24 de maio e mais de 200 mil cópias foram baixadas em três dias, tornando-se o produto em primeiro lugar na secção China da loja virtual da Apple.

Muitos chineses têm estado preocupados com alimentos perigosos antes mesmo de crianças terem sido prejudicadas e mortas em 2008 por leite em pó adulterado com melamina. Escândalos alimentares têm surgido na China há anos e mesmo nascituros se tornaram vítimas de alimentos tóxicos.

Arroz, farinha, óleo, sal, óleo de porco, macarrão e pão cozido no vapor têm sido envenenados em incidentes passados. Aditivos tóxicos incluem hormônios, corantes não consumíveis, conservantes, formaldeído de sódio, óxido de metileno, corante industrial, pó de carne magra feito de melamina, água sanitária, agentes antiendurecimento, agentes de branqueamento, maduradores, formalina (também conhecido como formol), sais industriais, ureia, panaplate (um inseticida) e os pesticidas 1605 e 391 altamente tóxicos.

O Livreto de Sobrevivência da China fala da preocupação do público sobre a situação alimentar na China. Um internauta comentando sobre o livro escreveu, “A publicação indica que alimentos envenenados estão em toda parte e quase nada é seguro para comer.”

A recente experiência do website “Jogando Fora” também mostra como é intenso o interesse na China pela segurança alimentar. Wu Heng, que se formou na Universidade de Fudan em Shanghai com licenciatura em geografia, e seus alunos trabalhando como voluntários criaram o website “Jogando Fora” sobre segurança alimentar.

Os voluntários coletam relatórios de pesquisa a partir de 2004 e seu website listou 2.400 casos que violaram os regulamentos nacionais de segurança e alimentação. Eles também usaram o buscador do Google para encontrar outros 3 mil artigos relacionados sobre segurança alimentar, os quais eles publicaram online. O tráfego intenso travou o website “Jogando Fora”.

Alguns internautas disseram que a produção do Livreto de Sobrevivência da China foi corajosa e generosa e poderia ser considerado um ato de virtude moral. O autor optou por permanecer anônimo, mas reclamou que nenhum oficial chinês preocupado com a segurança alimentar tentou entrar em contato com ele.

 
Matérias Relacionadas