Psicologia do Facebook: o que os ‘curtir’ dizem sobre você

Um sinal de ‘curtir’ em frente à sede do Facebook no Parque Menlo na Califórnia (Stephen Lam/Getty Images)

Muitas pessoas sempre suspeitaram que postar algo no Facebook e curtir certas páginas revelaria algo sobre sua personalidade. Agora é oficial. Um estudo realizado pela Universidade de Cambridge e pela Academia Nacional de Ciências estabeleceu uma relação científica entre os “curtir” (“like”) no Facebook e a personalidade do usuário.

O estudo realizado por Michal Kosinski e David Stillwell examinou as curtidas de 58.466 usuários norte-americanos do Facebook para tirar conclusões sobre suas preferências religiosas, políticas e sexuais, assim como traços de suas personalidades. Os participantes forneceram informações num questionário adicional para ser cruzado e verificar as conclusões produzidas pelo algoritmo computacional dos pesquisadores.

Alguns dos resultados apenas refletem o senso comum. Se você gosta das páginas de George W. Bush, John McCain e “Positivamente republicano”, então, eis que, você é um republicano.

O mesmo vale para a quantidade de amigos que você tem. Se você gosta da página “Andando com seus amigos e aleatoriamente empurrando-os para alguém/algo”, você provavelmente tem poucos amigos, embora alguns leitores possam contestar que um pouco de brincadeira amigável apenas poderia fortalecer um relacionamento saudável.

Por outro lado, é menos claro por que pessoas que gostam da loja Dollar General ou do filme “Paid in Full” teriam mais amigos, mas infelizmente o estudo se limita a enumerar os resultados estatísticos e não fornece explicações.

A precisão das predições de determinados critérios (1=100%), extraídos do estudo “Traços particulares e atributos são previsíveis a partir dos registros digitais do comportamento humano” de Kosinski e al (The Epoch Times)

Os resultados, que o algoritmo produziu com base nas curtidas do Facebook são, no entanto, significativamente precisos. Verificando-se com os questionários da vida real, o estudo previu o sexo dos participantes com taxa de acerto de 93%.

Neste caso, ele provavelmente não despendeu muito poder de computação para descobrir que um homem nunca gostaria de “Gilette Venus” e que poucas meninas jogam “Starcraft”, mas é sempre bom ter respaldo científico.

Prever o consumo de álcool foi mais difícil, com taxa de acerto de apenas 70%. Embora provavelmente não fosse muito difícil adivinhar que pessoas que gostam das páginas “Jim Beam” e “Belvedere Vodka”, bem como “Recebendo uma mensagem que diga sinto falta de sua companhia bebendo ao redor de uma fogueira”, costumam beber um drinque ou dois ocasionalmente.

Mas pessoas que se abstêm de álcool representaram alguma dificuldade. Elas gostavam de “Fingindo pensar quando o professor olha para você” e “Por que segunda-feira está tão longe da sexta e sexta tão perto da segunda”; um osso duro de roer mesmo para um psicólogo humano com décadas de experiência.

Com relação à personalidade, algumas páginas determinaram os seguintes cinco fatores: abertura, conscientização, extroversão, condescendência, estabilidade emocional e idade.

Se você gosta do programa “The Colbert Report”, por exemplo, você é aberto, estável, inteligente, mas não muito extrovertido ou agradável. Também é provável que seja mais velho.

Se você gosta de Mitt Romney, você está na posição inferior de abertura, mas na posição superior de consciência e condescendência – quem teria previsto esta? –, estável e, enfim, é bem mais velho.

Se você gosta de Hello Kitty, você está sem sorte ou é uma criança. A figura aparentemente inocente dos desenhos animados japoneses representa uma baixa em condescendência e estabilidade, bem como em consciência. O único ponto positivo e talvez uma boa desculpa é que pessoas que gostam de Hello Kitty geralmente são bem jovens.

Por último, mas não menos importante, pessoas que gostam de Mozart ou “O Poderoso Chefão” sempre souberam que são inteligentes e agora eles têm comprovação científica para isso. Pessoas que gostam de Harley Davidson e Bret Michaels estão na outra extremidade do espectro de inteligência.

Embora algumas conclusões do estudo sejam bastante disputadas, uma coisa é certa. Grandes corporações e seus exércitos de anunciantes e propagandistas prestarão ainda mais atenção em sua conta de Facebook – as curtidas são públicas, a não ser que você altere as configurações – para nos vender coisas seletivamente e que realmente gostamos.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas