Publicado em - Atualizado em 25/02/2014 às 9:03

Provérbio: “Sendo humilde diante do grande oceano”

Jovem tibetano espera por turistas para um passeio de barco pelo Rio Amarelo, perto da cidade tibetana de Tangke, na província sudoeste de Sichuan, China (LIU JIN / AFP / Getty Images)

Jovem tibetano espera por turistas para um passeio de barco pelo Rio Amarelo, perto da cidade tibetana de Tangke, na província sudoeste de Sichuan, China (LIU JIN / AFP / Getty Images)

Na antiguidade, os chineses davam grande importância ao Rio Amarelo, considerando-o o berço da civilização chinesa. Os agricultores usavam suas águas para irrigar seus arrozais e por isso ele foi chamado de “o rio de ouro” ou “o rio celestial”.

Segundo a lenda, um outono de abundantes chuvas fez crescer todos os rios. Muitos rios desembocavam suas águas no Rio Amarelo, o qual se converteu no mais amplo, profundo e caudaloso. O deus do Rio Amarelo estava encantado e tornou-se vaidoso, imaginando-se como o corpo de água mais poderoso sob o paraíso.

Viajando pelo rio, ele chegou ao Mar do Norte da China. Olhou para o Leste, mas não conseguiu ver a outra margem. Desde esse momento, o deus do rio se sentiu humilde e disse ao deus do Mar do Norte da China: “Eu foi orgulhoso, pensando que era maior que os outros. Agora, vejo o poder do oceano e reconheço minha petulância. Se não tivesse viajado até aqui, teria ficado sem saber.”

No entanto, o deus do Mar do Norte da China se manteve modesto e respondeu: “Entre o paraíso e a Terra sou um simples e pequeno espaço entre grandes massas de terra. Todos os sete oceanos juntos são nada mais que um grão de pó no universo. Estou muito longe de ser poderoso.”

Esta história é a origem do ditado chinês: “Sendo humilde diante do grande oceano”, o qual indica que uma pessoa descobriu suas limitações e está em paz com elas.

Este artigo pertence a série “Histórias da antiga China”; para ler outros artigos da série, clique aqui.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016