Profissional de saúde é diagnosticado com ebola em Glasgow, na Escócia

Um profissional de saúde, que regressou recentemente de Serra Leoa, na África, foi diagnosticado como portador do vírus do ebola por médicos em Glasgow, Escócia, informou ontem (29) o governo escocês. “Um caso confirmado foi diagnosticado em Glasgow”, indicou um comunicado, que informou ainda que o doente está isolado e recebendo assistência médica no departamento de doenças infectocontagiosas do Hospital Gartnavel.

Leia também:
Japão doará R$ 260 mi para combater Ebola na África
Ebola: EUA anuncia novas diretrizes para pessoas em risco
Ebola: autoridades do Mali colocam aproximadamente 600 pessoas sob vigilância

“O paciente fez parte da equipe médica que ajudou no combate à epidemia na África Ocidental. Ele regressou à Escócia no domingo (28), via Casablanca [Marrocos], e desembarcou no Aeroporto de Heathrow, em Londres”, informou o comunicado, sem precisar se o paciente é um homem ou uma mulher.

O paciente deu entrada no hospital ontem (29) de manhã, depois de se sentir mal, e foi colocado em isolamento às 7h50, hora local. Segundo as autoridades, uma vez que o vírus foi diagnosticado “num estado muito precoce da doença”, o risco de outras pessoas terem sido contaminadas é “considerado como extremamente baixo”.

O paciente será transferido “assim que possível” para Londres, onde ficará em uma unidade especializada do Royal Free Hospital, acrescentou ainda o governo escocês. Foi nesse hospital que já esteve internado William Pooley, o britânico que também foi contaminado pelo vírus ebola em Serra Leoa. Ao fim de dez dias de tratamento, William Pooley, que foi diagnosticado com a doença ainda na África, foi considerado curado.

De acordo com os dados divulgados ontem (29) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas infectadas pelo ebola nos três países mais afetados da África Ocidental (Guiné-Conacri, Serra Leoa e Libéria) aumentou para 20.081, das quais 7.842 morreram.

 
Matérias Relacionadas