Procurador alerta que ações contra Lula podem caducar

Procurador defendeu ainda a veracidade das provas apuradas pela Operação Lava Jato e também chamou atenção para os possíveis “retrocessos no combate à corrupção”

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

O procurador Deltan Dallagnol, ao comentar na terça-feira (9) sobre as ações contra o ex-presidente Lula, informou que vê “reais chances de prescrição” nos processos que envolvem o ex-presidiário.

O procurador defendeu ainda a veracidade das provas apuradas pela Operação Lava Jato e também chamou atenção para os possíveis “retrocessos no combate à corrupção”.

“Processos envolvendo o ex-presidente serão retomados em breve em Brasília, mas com reais chances de prescrição. Várias questões serão rediscutidas nos tribunais. Nada disso, contudo, apaga a consistência dos fatos e provas, sobre os quais caberá ao Judiciário a última palavra”, escreveu Dallagnol no Twitter.

O ex-presidente Lula continuará sendo julgado pelos crimes de corrupção. Essa categoria de crime, geralmente, caduca em 16 anos. No caso de Lula, que possui mais de 70 anos de idade, esse prazo cai pela metade.

“Precisamos discutir essas amplas mudanças em curso (e aqui não falo mais do caso concreto) para decidir se queremos ser o país da impunidade e da corrupção, que corre o risco de retroceder vinte anos no combate a esse mal, ou um país democrático em que impere a lei”, finalizou Deltan Dallagnol.

 
Matérias Relacionadas