Processos corruptos em estatal chinesa são alvo de investigação

Menos de um mês após a agência anticorrupção chinesa iniciar uma investigação à empresa estatal fornecedora de eletricidade na Província de Guandong, quatro funcionários de alto escalão da empresa, incluindo o diretor, foram demitidos.

Artigos e entrevistas realizados pela mídia chinesa mostram como o suborno e a desonestidade se tornaram parte do procedimento normal da Companhia de Rede Elétrica do Sul da China.

No início de março, a comissão anticorrupção do Partido Comunista Chinês selecionou uma equipe para investigar a companhia. No dia 30 de março, Qi Dicai, diretor da companhia, um dos subdiretores e mais dois executivos foram demitidos sem que, na época, os motivos fossem publicados.

Contudo, a tempestade proverbial ainda não havia terminado. No dia 2 de abril, a Procuradoria do Tribunal Supremo do Povo na China anunciou em seu website que ordenou que a Procuradoria do Povo de Guandong iniciasse uma investigação a Xiao Peng, outro subdiretor da companhia de Rede Elétrica.

Leia também:
Corrupção: executivos de estatal chinesa fazem refeição de U$3600 com dinheiro público
Campanha anticorrupção do regime chinês já eliminou 16 generais
Suborno: uma regra não oficial nas autoescolas chinesas

O suborno parece ser o ponto principal na lista de acusações contra Xiao. Através de processos corruptos, a Companhia de Rede Elétrica alegadamente vendeu cargos e realizou negócios duvidosos com outras firmas, alterando sem escrúpulos os seus preços de eletricidade.

Uma fonte anônima informou ao Diário Econômico da China que o preço para obter um cargo dentro da companhia era muito alto, mesmo a 7 ou 8 anos atrás. Alegadamente, 1 milhão de yuan (cerca de U$ 161 mil) pelo cargo de diretor de uma das agências da companhia elétrica, e 3 milhões de yuan (cerca de U$ 484 mil) por um cargo de administrador na companhia.

Quem comprasse o cargo poderia recuperar o dinheiro muito rapidamente, pois outras indústrias são dependentes da rede para obter eletricidade, e estão à mercê daqueles que administram o fornecedor.

Uma nova fábrica, por exemplo, teria que enviar um requerimento para obter eletricidade. Como os fornecedores ficam atolados de pedidos provenientes de muitas indústrias que necessitam do serviço, existe normalmente uma longa lista de espera.

“Naturalmente, um suborno poderia alcançar o objetivo de passar à frente na lista. De outro modo, a solução seria esperar chegar a vez”, disse a fonte ao Diário Econômico da China.

Uma maneira fácil de subornar o diretor da agência fornecedora da Companhia de Rede Elétrica e o chefe do departamento de vendas, era levá-los para jantar. Depois do jantar, o preço da eletricidade para esta companhia poderia ser reduzido.

“Por exemplo, a conta de eletricidade originalmente no valor de 1 milhão de yuan poderia ser reduzida para 100 mil yuan. Ao mesmo tempo, a Companhia de Rede Elétrica, em troca, oferece propina para alguns chefes destas firmas. Agora, com os contadores inteligentes, as coisas são mais complicadas”, afirmou a fonte.

 
Matérias Relacionadas