Primeiro possível caso de gripe aviária H10N3 em humanos relatado na China

Por Jack Phillips

Um homem do leste da China contraiu o que parece ser o primeiro caso humano de H10N3, um tipo de gripe aviária, segundo autoridades do regime chinês.

O homem de 41 anos, cujo nome não foi divulgado, foi hospitalizado no final de abril com H10N3 em Zhenjiang, província de Jiangsu, perto de Xangai, de acordo com a Comissão Nacional de Saúde da China em um comunicado publicado em seu site daWeb.

A comissão disse que nenhum outro caso foi registrado.

“Esta infecção é uma transmissão acidental entre espécies”, diz o comunicado, afirmando que “o risco de transmissão em grande escala é baixo”, de acordo com uma tradução do chinês para o inglês.

A agência disse que o homem desenvolveu febre e outros sintomas. Ele foi diagnosticado com H10N3 cerca de um mês depois, em 28 de maio.

Filip Claes, coordenador de laboratório regional da Organização para Alimentos e Agricultura, disse à agência de notícias Reuters que essa cepa da gripe aviária “não é um vírus muito comum”.

Ao longo dos anos, várias cepas da gripe aviária foram encontradas entre os animais na China, embora sejam raros os relatos de surtos massivos em humanos.

A última epidemia humana relacionada a uma cepa da gripe aviária, H7N9, ocorreu na China em 2016 e 2017. O H7N9, que tem uma taxa de mortalidade relativamente alta, infectou cerca de 1.700 pessoas e matou 613 desde 2013, de acordo com a Organização para Alimentos e Agricultura das Nações Unidas.

No ano passado, as autoridades de saúde chinesas relataram surtos da gripe aviária H5N1, incluindo um que forçou o abate de 18.000 frangos na província de Hunan.

Os relatos da disseminação do H10N3 na China chegam em um momento em que o Partido Comunista Chinês (PCC) enfrenta um escrutínio crescente pelas autoridades dos EUA sobre as origens do vírus do PCC , também conhecido como coronavírus que causa o COVID-19, e se ele foi vazado ou pesquisado em um laboratório de Wuhan. Autoridades do PCC há muito dizem que o vírus foi transmitido de um animal para humanos em um mercado em Wuhan, mas o regime não forneceu nenhuma prova da alegação e não identificou o animal em questão.

No final do mês passado, o presidente Joe Biden fez uma declaração dizendo que muitas das 17 agências da Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos acreditavam que o vírus vinha do Instituto de Virologia de Wuhan, um laboratório de alta segurança, e pediu que publicassem um relatório em questão de meses sobre a origem do vírus do PCC.

Antes disso, ao longo de 2020, a mídia corporativa e sites de checagem de fatos tentaram minimizar as alegações de que o vírus veio do laboratório, às vezes descrevendo as alegações como parte de uma “teoria da conspiração”.

Mas no fim de semana, jornalistas importantes, incluindo Jonathan Karl da ABC News, admitiram que a teoria do vazamento do laboratório de Wuhan é plausível e disseram que não era levada a sério simplesmente porque o presidente Donald Trump e funcionários do governo costumavam fazer essas afirmações.

“Sim, eu acho que muitas pessoas estão envergonhadas”, reconheceu Karl . “Essa foi uma ideia que foi apresentada pela primeira vez por Mike Pompeo, Secretário de Estado, Donald Trump, e veja, algumas coisas podem ser verdade mesmo se Donald Trump as disse. Porque Trump estava dizendo muitas outras coisas que estavam fora de controle … ele disse categoricamente que isso veio daquele laboratório, e foi amplamente rejeitado … mas agora pessoas sérias estão dizendo que uma investigação a fundo é necessária. ”

Entre para nosso canal do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas