Primeiro paciente começa ensaio de drogas orais COVID-19 da Pfizer

Medicamento se destina a combater a COVID-19 em pacientes que apresentam sintomas da doença, mas não requerem cuidados hospitalares

Por Zachary Stieber

O primeiro paciente em um ensaio clínico do medicamento COVID-19 oral da Pfizer recebeu a primeira dose do medicamento, anunciou a empresa em 1º de setembro.

O estudo está analisando um inibidor de protease conhecido como PF-07321332. O medicamento se destina a combater a COVID-19 em pacientes que apresentam sintomas da doença, mas não requerem cuidados hospitalares.

O estudo randomizado duplo-cego vai envolver cerca de 1.140 participantes, aproximadamente metade dos quais receberá um placebo. Os participantes receberão o medicamento ou o placebo a cada 12 horas por via oral durante cinco dias.

As pessoas que recebem o medicamento também receberão ritonavir.

“Se tiver sucesso, acreditamos que esta terapia pode ajudar a reduzir a gravidade da doença entre uma ampla população de pacientes”, disse Rod MacKenzie, diretor de desenvolvimento da Pfizer, em um comunicado.

A empresa já iniciou um ensaio separado que testa um inibidor de protease diferente, este administrado por via intravenosa.

Os inibidores são um tipo de medicamento que impede a replicação dos vírus.

Pílulas antivirais contra a COVID-19 ainda não foram desenvolvidas. O remdesivir administrado IV, produzido pela Gilead Sciences, foi aprovado pelos reguladores de medicamentos dos EUA em 2020.

Outras empresas também estão tentando produzir os medicamentos, incluindo Merck e Roche.

A Merck já iniciou um teste de estágio final analisando seu candidato a pílula, denominado molnupiravir. Os resultados provisórios de um ensaio clínico de fase dois para a pílula da Roche, AT-527, mostraram resultados promissores, afirmaram a Roche e sua parceira Atea Pharmaceuticals em julho.

A Pfizer disse que se seu teste mostrar que o PF-07321332 é seguro e eficaz, ela pode solicitar autorização aos reguladores no quarto trimestre de 2021.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também: 

 
Matérias Relacionadas