Pressionado, WhatsApp decide adiar mudanças nos termos de privacidade

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

O aplicativo de mensagens WhatsApp divulgou na sexta-feira (15) que irá adiar em três meses a data para entrar em vigor a sua nova Política de Privacidade. A atualização nos termos de uso estava prevista para valer a partir do dia 8 de fevereiro. Agora, está prevista para o dia 15 de maio.

Em um dos novos pontos da Política de Privacidade, o aplicativo decidiu tornar obrigatório o compartilhamento de dados pessoais dos usuários com outras empresas do grupo econômico Facebook. Tal medida violaria a liberdade do consumidor.

Criticado pelas mudanças e vendo muitos usuários passando a instalar apps rivais como o Signal e o Telegram, o mensageiro decidiu adiar o lançamento da nova política para 15 de maio.

Segundo o WhatsApp, em uma nota divulgada em seu blog oficial, “ninguém terá a conta suspensa ou excluída em 8 de fevereiro”.  Já quem em outra ocasião tinha informado que os “usuários que não aceitarem as novas políticas até 8 de fevereiro de 2021 não perderão suas contas, mas precisarão concordar com as atualizações para usar”. Ou seja, a conta ficaria suspensa até a pessoa aceitar a política.

A plataforma de mensagens também informou que irá tentar esclarecer melhor a nova Política de Privacidade. “Tem havido muita desinformação causando preocupação, queremos ajudar todos a entender nossos princípios e fatos”, disse a companhia.

Mesmo com a pressão recebida dos usuários, o WhatsApp não irá alterar a obrigatoriedade de permitir o uso dos dados pelo Facebook, de acordo com o The Verge. Ou seja, a partir de 15 de maio o usuário, se desejar continuar usando o aplicativo, será obrigado a concordar com a Política de Privacidade e compartilhar seus dados pessoais com o grupo Facebook.

 

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas