Presidente do CPAC tem breve contato com paciente com coronavírus durante conferência

Matt Schlapp apertou a mão de Trump no último dia da conferência

Por Jack Phillips

O presidente da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) confirmou que teve um breve contato com um assistente de evento que mais tarde deu positivo para o coronavírus COVID-19, mas acrescentou que não sabe se mais alguém contraiu o vírus, inclusive ele próprio.

Matt Schlapp disse ao Washington Post e à Fox News que ele interagiu com um paciente infectado pelo COVID-19 e disse à emissora de televisão que era um “contato acidental” com o assistente “muito breve”.

No último dia da conferência, em 7 de março, Schlapp apareceu no palco com o presidente Donald Trump e apertou sua mão. Em um post no Twitter, ele escreveu que o “assistente, que agora está doente, não compareceu” ao evento de 7 de março, quando Trump fez um discurso.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Stephanie Grisham, disse a repórteres que nem Trump nem o vice-presidente Mike Pence estavam “a uma curta distância do assistente”, que confirmou ter contraído o COVID-19. Trump disse em 7 de março à imprensa que “ele não está preocupado”, acrescentando que ainda executará “tremendos atos eleitorais” diante da epidemia global.

“Posso confirmar que ele não teve contato com o presidente ou o vice-presidente”, disse Schlapp à Fox em 8 de março. “Posso dizer que, quando o presidente estava no CPAC, ele agiu como ele disse, porque eu o vi esfregar as mãos e limpar as mãos mais de uma vez enquanto ele estava lá, e fiz o mesmo, a propósito”.

Schlapp disse que ligou para todo mundo que conhecia que poderia ter estado em contato com o paciente.

“Nenhum dos participantes da conferência deve entrar em pânico com o que aconteceu”, disse ele. “Vamos tomar todas as medidas necessárias.”

Em 7 de março, a União Conservadora Americana, que organiza o CPAC, confirmou que um dos participantes do evento apresentou resultado positivo e agora está em quarentena. A conferência foi realizada de 26 a 29 de fevereiro em National Harbor, Maryland, dentro do Gaylord National Resort & Convention Center.

“Um hospital em Nova Jersey testou a pessoa e o CDC confirmou o resultado positivo”, escreveu o organizador em comunicado. “A saúde e a segurança de nossos assistentes e participantes são nossa principal prioridade”, acrescentou. “Qualquer assistente que tiver dúvidas pode entrar em contato com a ACU ou o Departamento de Saúde do Estado de Maryland”.

Além de Trump e Pence, entre as figuras proeminentes que falaram na conferência estão a senadora Marsha Blackburn (R-Tennessee), o conselheiro presidencial e genro de Trump, Jared Kushner, e o secretário de Estado Mike Pompeo.

Uma mulher, com uma máscara facial, puxa um carrinho na Estação Central de Milão, Itália, em 8 de março de 2020 (Emanuele Cremaschi / Getty Images)

“Obviamente, estamos preocupados com o paciente”, disse Schlapp na entrevista da Fox News, observando que ele conversou com o paciente em 7 de março por telefone. “Esse paciente se sente melhor. Acho que ele está se recuperando, então são boas notícias”.

Estou tomando precauções. Estou conversando com meu médico – ele disse. “Ontem à noite conversei com minha mãe, que estava na conferência, que tem 80 anos. Parece maravilhoso. Eu me sinto saudável como um cavalo. Meus filhos também, então não há indicação de que alguém com quem falei tenha mais problemas”.

Dando mais detalhes, Schlapp explicou que o paciente não passou pela conferência e passou mais tempo em uma “pequena área”.

Acredita-se que o vírus tenha surgido na China continental no final de 2019, infectando dezenas de milhares de pessoas e fazendo com que oficiais do Partido Comunista Chinês colocassem centenas de milhões de pessoas em isolamento e forçassem vários trabalhadores chineses a ficar em casa, o que causa receio de uma recessão econômica global.

 
Matérias Relacionadas