Presidente da CUT é indiciado por incitação ao crime (+Vídeo)

O presidente nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, foi indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal por incitação ao crime. O sindicalista incitou manifestantes a “pegar em armas” para defender o mandato de Dilma Rousseff, em discurso realizado em pleno Palácio do Planalto em agosto de 2015.

Freitas receberá intimação para depor em São Paulo, onde reside, embora o caso esteja sendo investigado na 5ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) em Brasília, para onde o processo será devolvido após julgado. Por telefone, a CUT declarou que o presidente ainda não havia sido informado do processo até a tarde desta quinta (7).

Leia também:
Operação Pripyat prende responsáveis por roubos na Eletrobras
Pesquisa põe Brasil entre piores países em matemática e ciência
TCE bloqueia R$ 198 mi de construtoras por suposta fraude no Maracanã

Até o começo de junho, o processo estava em poder da Polícia Federal, quando foi encaminhado à corporação do DF. De acordo com o delegado da 5ª DP Luiz Gustavo Neiva Ferreira, o inquérito será mandado para o Ministério Público e analisado pelo Juizado Especial Cível.

Caracterizada no artigo 286 do Código Penal, a incitação ao crime acarreta em pena de três a seis meses de detenção e multa. Ainda que o presidente da CUT sofra condenação, a pena deverá ser convertida em serviços comunitários ou outro tipo de punição.

 
Matérias Relacionadas