Presidente do Congresso da Venezuela é chefe do ‘Cartel dos Sóis’, afirma ex-chefe de segurança

O ex-chefe de segurança de Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e vice-presidente do Partido Socialista Unido (PSUV), afirma que Cabello também é chefe do cartel narcoterrorista conhecido como “Cartel de los Soles” (Cartel dos Sóis).

O agente de segurança é Leamsy Salazar, que fugiu para os Estados Unidos e chegou em Washington na segunda-feira (26), de acordo com um artigo divulgado pelo InterAmerican Security Watch.

A notícia foi amplamente divulgada nas mídias de língua espanhola, e as redes sociais de usários que falam espanhol estão aquecidas sobre o desenvolvimento do assunto.

Emil Blasco, correspondente em Washington do Diario ABC de Madrid, enviou uma série de tweets em 26 de janeiro, afirmando que Salazar está em busca de proteção nos Estados Unidos e que vai testemunhar contra Cabello, dizendo que ele é o cabeça do Cartel dos Sóis.

Salazar não era apenas chefe de segurança Cabello. Ele atuou como chefe de segurança para o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez por 10 anos, e é considerado a pessoa de mais alto escalão a desertar da Venezuela.

Salazar supostamente chegou aos Estados Unidos com a ajuda de agentes da Agência Antidrogas dos Estados Unidos (DEA).

Cartéis da Venezuela

Bernardo Jurado, ex-capitão da Marinha venezuelana, declarou no programa de língua espanhola da América Tevé de Miami, a Mano Limpia, que o mais recente desenvolvimento é coerente com processos anteriores.

Jurado disse que Raúl Isaías Baduel, ex-ministro da Defesa da Venezuela, que foi condenado à prisão por Hugo Chavez, escreveu uma carta para a elite militar dizendo que o general Henry de Jesús Silva também está envolvido com o narcoterrorismo.

Em 2008, o Departamento do Tesouro dos EUA pediu para que as contas nos Estados Unidos de Rangel Silva fossem bloqueadas sob a acusação de que ele havia ajudado as FARC em atividades de narcotráfico.

Baduel afirmou que a elite política da Venezuela também está envolvida com o grupo terrorista Hezbollah no tráfico de drogas. Hezbollah tem um escritório na Venezuela.

Jurado também disse que o ex-juiz venezuelano Luis Velasquez Alvaray havia afirmado que Cabello também faz lavagem de dinheiro para as FARC, o que impactou diretamente a economia da Venezuela.

Felix Jiménez, chefe aposentado da DEA para NY e o Caribe, explicou também no programa de TV A Mano Limpia que a Venezuela tem três principais cartéis de drogas.

O primeiro cartel é o ‘Cartel do Sol’, formado por militares que tem um sol como emblema em seus uniformes. O ‘Cartel dos Sóis’ é um termo que o cartel assumiu quando as operações de tráfico de drogas se espalharam por toda estrutura militar venezuelana – operação pela qual Cabello é supostamente responsável. Os dois cartéis são tecnicamente o mesmo.

O terceiro cartel é o menos influente dos cartéis bolivarianos.

Jiménez disse que, em 1998, os Estados Unidos assinaram um acordo com a Colômbia para combater o narco-terrorismo. Os dois principais grupos que focavam combater na época eram: As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o Exército de Libertação Nacional (ELN).

No final da década de 1990, dois cartéis colombianos – o cartel de Medellín e o cartel de Cali – entraram em declínio. Então, quando os militares da Colômbia iniciaram a ofensiva contra as FARC, os guerrilheiros fugiram através da fronteira para Venezuela e assimilaram os cartéis de Medellín e Cali, que tinham controle sobre a região.

As FARC, nesse movimento, invadiram os territórios venezuelanos de Apulia, Cura e Táchira com a intenção de se apropriarem do porto Cabello para que pudessem mais facilmente enviar drogas para os Estados Unidos e Europa.

O ‘Cartel do Sol’ cresceu com os soldados que foram designados para proteger carregamentos de drogas das FARC, e uma vez que eles foram pagos pelas FARC com drogas, em vez de dinheiro, eles se envolveram no tráfico de drogas em nível nacional formando o ‘Cartel dos Sóis’ que, de acordo com Salazar, é comandado por Cabello.

Jiménez disse que “com o consentimento do ex-ditador Hugo Chávez”, os soldados se juntaram ao tráfico de drogas e formaram o ‘Cartel dos Sóis’. O uso plural de “sol” é utilizado para simbolizar todo o aparato militar que se envolveu com o narcoterrorismo.

Se as alegações de Salazar forem verdadeiras, isso significa que um dos mais poderosos oficiais da Venezuela, Diosdado Cabello, também é um pilar da corrupção na Venezuela e responsável por fortalecer os laços com grupos terroristas como o Hezbollah e as FARC.

 
Matérias Relacionadas