Prenúncio do fim do PCC é encontrado no centro de uma rocha de 270 milhões de anos

Por Epoch Times

Antes de mais nada, é preciso que se saiba que atualmente vem ocorrendo um genocídio de grandes proporções na China, que tem submetido ao terror mais de 100 milhões de praticantes de Falun Gong. Essas pessoas são perseguidas violentamente pelo Partido Comunista Chinês (PCC): são presas, torturadas, submetidas a trabalhos forçados e assassinadas. Mas isso é apenas uma parte da sangrenta história do PCC, que desde que tomou o poder na China já matou mais de 70 milhões de cidadãos chineses.

Em Guizhou, na China, uma descoberta incrível foi feita em junho de 2002. A exposição internacional de fotografia Duyun realizou uma exibição em uma área remota conhecida como Parque Geológico Nacional de Pingtang. Ali, então, o funcionário Wang Guofu descobriu uma rocha com detalhes incomuns enquanto limpava o local.

Um detalhe da pedra, mostrando claramente os caracteres (© minghui)
Um detalhe da pedra, mostrando claramente os caracteres (© minghui)

No alto de uma montanha, uma rocha de 270 milhões de anos se dividiu em dois, revelando uma “mensagem oculta”, o que era suficiente para causar arrepios na espinha de qualquer membro do Partido Comunista Chinês. A mensagem, “O Partido Comunista Chinês Perece”, pode ser claramente vista na formação de pedra natural, em caracteres chineses.

O megalito, pesando mais de 100 toneladas, e que data do Período Permiano, caiu de um local elevado e dividiu-se em duas partes, revelando a mensagem oculta. As duas partes da rocha partida têm cerca de 7 metros de comprimento e 3 metros de altura, com os caracteres chineses de cerca de 30 centímetros de altura e claramente visíveis.

Uma equipe de 15 cientistas, incluindo Li Tingdong e Liu Baojun da Academia Chinesa de Ciências, e Li Fenglin da Universidade das Geociências da China, examinaram a pedra e concluíram que a escrita da pedra era uma formação natural e não algo entalhado por pessoas.

Liang Heng, vice-editor do jornal estatal The People’s Daily, visitou o local e, em 2003, escreveu: “Muitas vezes as pessoas imaginam que as nuvens brancas podem parecer com cachorros ou algo parecido com uma pessoa ou uma besta, uma imagem ou um gráfico; no entanto, todas essas coisas são fruto da aparência da imagem. Mas, hoje, um megalito, de repente, ser capaz de escrever, falar, esculpir, desenvolver técnicas de escrita ou usar a terminologia política… como as pessoas podem acreditar nisso? Elas realmente ousam acreditar nisso? No entanto, diante dessas escritas ocultadas nesses dois pedaços de rocha, não temos outra alternativa senão acreditar”.

Reportado por jornal chinês, mas apenas as primeiras 5 palavras aparecem no artigo. (© minghui)
Reportado por jornal chinês, mas apenas as primeiras 4 palavras aparecem no artigo. (© minghui)

A rocha, que caiu de uma alta montanha acima do vale do rio Zhangbu, dividiu-se no impacto com o solo, revelando a “mensagem oculta na rocha”.

Na época, os meios de comunicação oficiais na China, incluindo People’s Daily, CCTV, Guangming Daily, China International Broadcasting station, Travel Satellite, Technical Daily, Sina.net, Sohu.net, New China, Yahoo e Eastern Net, todos reportaram sobre os caracteres encontrados na rocha – mas omitiram o último caractere, “perecer”, que é o único caractere que aparece maior do que os outros caracteres na rocha.

A mídia não se atreve a mencionar a última palavra, “perecer”. Na verdade, a única versão aceita na China é a versão de 4 letras – “O Partido Comunista Chinês”.

©The Epoch Times
©The Epoch Times

De acordo com os últimos números do “Tuidang“, o Quit-CCP Global Service Center, 298.004.652 pessoas renunciaram às suas afiliações do regime chinês.

Tuidang (退党) em chinês mandarim significa “retirar-se do Partido”. É o ato de renunciar publicamente ao Partido Comunista Chinês (PCC) e às suas organizações afiliadas: os Pioneiros Comunistas e a Liga da Juventude Comunista” – nota do site Tuidang.

“O Tuidang surgiu pouco depois que a edição chinesa do jornal Epoch Times – com sede em Nova York -, publicou os Nove Comentários sobre o Partido Comunista Chinês, em outubro de 2004 – uma série de editoriais que explicam a história censurada e a tirania do PCC. Os Nove Comentários descrevem como os chineses sofreram inúmeras campanhas políticas opressivas e convulsões sociais sob o regime do Partido, por mais de 65 anos, resultando em 60 a 80 milhões de mortes não naturais”.

Uma vez que uma pessoa se torna consciente sobre a natureza assassina do Partido Comunista Chinês, é logicamente compreensível o porquê dela desejar se desassociar do Partido. O número de renúncias aproxima-se rapidamente dos 300 milhões. Isso realmente mostra que há uma raiz espiritual, que vai além da compreensão humana, que mostra que realmente o PCC se extinguirá: está “entalhado” nesta rocha, que data de cerca de 270 milhões de anos, o final irremediável do PCC. E é bom que as pessoas saibam que o comunismo prega o ateísmo e, portanto, está contra as leis divinas. E aquilo que está ligado na Terra também está ligado no mundo espiritual. Uma vez que o PCC sucumba, aqueles ainda ligados a ele também sucumbirão espiritualmente. Eis o que diz a sabedoria.

 
Matérias Relacionadas