Prefeituras do RJ e SP reduzem a tarifa das passagens de transporte público

Imagem do Facebook expressando que os R$ 0,20 são apenas a ponta do iceberg. A pauta de reivindicação é ampla e exige uma reforma política completa (Anonymous Brasil / Getty Image)
Imagem do Facebook expressando que os R$ 0,20 são apenas a ponta do iceberg. A pauta de reivindicação é ampla e exige uma reforma política completa (Anonymous Brasil / Getty Image)

Após dezenas de protestos no Rio de Janeiro e em São Paulo, as prefeituras de ambos os Estados anunciaram, ontem (19), a revogação do aumento no preço das passagens de transporte público, na tentativa de reduzir o movimento que tem ampla pauta de reivindicações.

Reconhecido como o maior protesto no país em 20 anos, o movimento de segunda-feira (17) levou cerca de 400 mil pessoas às ruas de São Paulo e do Rio (300 mil e 100 mil respectivamente), segundo dados oficiais. Porém acredita-se que cerca de 1 milhão saíram às ruas nessas cidades, sem considerar as 10 capitais brasileiras e dezenas de cidades que aderiram ao protesto nas últimas semanas.

Os políticos das duas grandes capitais, São Paulo e Rio, não tiveram saída a não ser ceder à principal reivindicação do movimento e anular o reajuste tarifário do transporte público. No entanto, a organização do movimento diz que a manifestação não é apenas sobre os R$0,20.

O grupo “Anonymous Brasil”, que vem convocando virtualmente a população para participar das manifestações, listou cinco pontos principais de reivindicações. Eles são: não à PEC-37 (que tenta impedir o Ministério Público de investigar crimes de corrupção); saída imediata de Renan Calheiros da Presidência do Congresso Nacional; imediata investigação de irregularidades na Copa do Mundo de Futebol – FIFA; considerar a corrupção como um crime hediondo e o fim do foro privilegiado (pessoas julgadas especialmente pelo Supremo Tribunal Federal).

Ainda assim, os protestantes consideram a revogação do reajuste tarifário como a primeira vitória, mesmo sendo pequena, segundo a organização.

No Rio, a partir da meia-noite de hoje (20), a passagem do Bilhete Único Carioca voltará a custar R$2,75, segundo nota publicada pelo governo do Rio. A publicação acrescenta que, a pedido do governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes estendeu a revogação às tarifas de metrô, trem e barca, que também retornarão ao valor anterior (R$3,20, R$2,90 e R$4,50, respectivamente) a partir de amanhã (21). Para quem usa o bilhete único, o preço continuará R$3,10.

Protesto para redução da passagem de ônibus em São Paulo, em 17 de junho de 2013 (Cortesia de Liana Fernandes Magalhães)
Protesto para redução da passagem de ônibus em São Paulo, em 17 de junho de 2013 (Cortesia / Liana Fernandes Magalhães)

Eduardo Paes relatou ainda que a redução da tarifa do transporte representará ônus de R$ 200 milhões à prefeitura do Rio, informou a nota.

Em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad anunciaram que ônibus, trem e metrô voltarão a custar R$3,00 a partir da próxima segunda (24), de acordo com publicação da prefeitura paulista. A integração pelo Bilhete Único Paulistano retornará ao valor de R$4,65. Com a redução, Alckmin diz que será obrigado a cortar gastos, segundo a publicação.

 

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas