Praticantes do Falun Gong são julgados por promover cultura tradicional chinesa

Dois residentes de Yuzhou foram julgados recentemente por distribuir DVDs de espetáculos do Shen Yun Performing Arts e softwares para evadir a censura da internet da China.

As performances do Shen Yun visam fazer reviver a cultura tradicional chinesa, que o Partido Comunista Chinês percebe como uma ameaça à sua ideologia e tem a intenção de destruir, desde o início do seu reinado.

As autoridades chinesas têm investido enormes recursos para atingir aqueles que produzem, distribuem ou até mesmo assistem a DVDs dos internacionalmente aclamados espetáculos do Shen Yun.

O sr. Dang Fuqiang (党富强) e o sr. Zhang Zhende (张振德) foram presos em 28 de março deste ano. O sr. Dang foi capturado enquanto distribuía DVDs do Shen Yun, enquanto o sr. Zhang foi emboscado, logo que saiu de sua casa. A polícia tinha grampeado o telefone dos dois praticantes e acompanhado-os por algum tempo antes de prendê-los.

O Tribunal da cidade de Yuzhou realizou um julgamento dos dois praticantes em 16 de outubro, onde o promotor público Dong Zihua os acusou de “utilizar uma organização de culto para sabotar o cumprimento da lei”, um rótulo comumente utilizado pelo regime para condenar os praticantes do Falun Gong como parte da perseguição em todo país.

Os advogados de defesa Zhang Chuanli e Lan Zhixue ressaltaram que o Congresso Nacional do Povo, órgão legislativo da China, nunca promulgou uma lei proibindo a prática do Falun Gong ou o rotulou um culto. Portanto, a perseguição ao Falun Gong foi ilegal desde o início.

Dong alegou que os DVDs do Shen Yun e o software de evasão do firewall ascendeu a “propaganda contrarrevolucionária”. Reconhecendo que a fonte de inspiração do Shen Yun é a disciplina espiritual do Falun Gong, os dois advogados desafiaram Dong a abordar porque promover uma empresa de dança clássica chinesa seria ilegal.

Dong ficou sem fala. Ele ficou novamente sem palavras quando o sr. Zhang e o sr. Lan questionaram-no sobre a alegada ilegalidade do uso do software para acessar notícias sem censura, como a perseguição ao Falun Gong.

Incapaz de provar a culpa dos dois praticantes, Dong voltou a ameaçar os advogados: “Você está promovendo Falun Gong? Você conhece as consequências?”

O sr. Lan respondeu: “É nosso direito e obrigação proteger nossos clientes durante a defesa. A Constituição protege o direito de ter suas próprias crenças religiosas.”

Autores envolvidos no caso:

Procurador Dong Zihua (董自华): + 86-13569978066 (celular), + 86-374-8168169 (escritório)
Juiz Li Pei (李培): + 86-13937460463 (celular), + 86-374-8351085 (escritório), 86-374-8562219 (escritório)

Minghui.org

 
Matérias Relacionadas