Pornografia destrói relacionamentos saudáveis, diz especialista

Os jovens estão tendo a sua sexualidade e relacionamentos sequestrados por pornógrafos não regulamentados na Califórnia, disse a professora e ativista anti-pornografia Gail Dines a repórteres na Parliament Hill. A pornografia online é, de longe, a principal fonte de educação sexual dos jovens, e isso tem consequências graves e generalizadas, disse Dines.

Esse problema tem conexões com a prostituição e o tráfico de sexo, duas questões que a deputada conservadora Joy Smith assumiu como missão. Ambos estão clamando por uma iniciativa de saúde pública mais ampla que aborde as questões de várias maneiras.

Impactos da pornografia

Dines tem escrito sobre o assunto e pesquisado a indústria pornográfica durante 20 anos, um campo de estudo que começou produzindo revisões de especialistas sobre o impacto da pornografia a longo prazo e seus impactos prejudiciais.

“Estamos no meio de um experimento social enorme e que está reformulando a vida de jovens de todo o mundo. Nunca antes as crianças e jovens tiveram acesso tão completo à pornografia “hard core”, que se baseia na degradação, aviltamento e humilhação das mulheres”, disse Dines.

A pornografia que as crianças visualizam gratuitamente na Internet “não é como a revista Playboy de seus pais”, disse ela. Ela é muitas vezes cruel, punitiva e odiosa em relação às mulheres – uma multibilionária indústria global se tornou a principal forma de educação sexual para os jovens de hoje.

Ela disse que sites pornográficos conquistam mais visitas a cada mês através da Netflix, Amazon e Twitter combinados. “Mais de um terço da internet é pornografia.”

Meninos vêm pornografia entre as idades de 11 e 13. Isso tem um impacto dramático sobre a forma como eles entendem as relações com as mulheres, porque essa é a idade em que os meninos desenvolvem a ideia do que os psicólogos chamam de “modelo sexual”.

Quanto mais jovens eles forem expostos, maior o impacto. Muitos acabam viciados em pornografia, disse Dines. “Pornografia livre é equivalente a ficar do lado de fora da escola distribuindo cigarros grátis e álcool. Isso não seria permitido, então por que a indústria da pornografia é uma indústria que não deve também ser regulamentada?”, perguntou Dines.

A consequência é que os meninos esperam dinâmicas similares em seus relacionamentos na vida real e pressionarão ou coagirão as meninas a fornecê-la, e isso rouba dos meninos e meninas os relacionamentos saudáveis. Dines disse que a única solução é uma abordagem de saúde pública de grande alcance que aborde muitos temas, incluindo a educação dos jovens para os impactos da pornografia.

Foi dada a ela uma concessão pelo Centro de Controle de Doenças, dos EUA, para desenvolver uma abordagem e ela então descobriu que seria parecido com qualquer outra campanha de saúde pública, que traz os interessados ​​(pais, professores, jovens trabalhadores, jovens de modo geral, etc) em conjunto para desenvolver uma resposta. Também incluiria meios de comunicação e educação pública.

“Você iria às escolas e desenvolveria um currículo que ajudaria a isolar as crianças e os jovens das mensagens pornográficas que chegam até eles”, disse Dines. Se os espectadores souberem mais sobre a forma como os meios de comunicação podem afetá-los, melhor poderão resistir a ela, disse Dines.

Casandra Diamond, com a Rede de Apoio às Mulheres da Região de Nova York, disse que a pornografia foi usada para prepará-la para o abuso sexual e posterior trabalho na indústria do sexo (Matthew Little/Epoch Times)
Casandra Diamond, com a Rede de Apoio às Mulheres da Região de Nova York, disse que a pornografia foi usada para prepará-la para o abuso sexual e posterior trabalho na indústria do sexo (Matthew Little/Epoch Times)

Pornografia e prostituição

Casandra Diamond nunca teve essa oportunidade. Ela foi exposta pela primeira vez à pornografia aos cinco anos de idade por seu avô, como preparação para conduzi-la ao abuso sexual posteriormente.

“Eu posso falar sobre os danos causados a mim mesma por essa indústria brutal e cruel. Quando eu era muito jovem, eu fui conduzida à pornografia antes que eu tivesse qualquer noção sobre sexo ou o que isso poderia significar para mim.” Diamond passou a trabalhar em diferentes atividades da indústria do sexo. Esse cenário é comum, disse Dines.

Do outro lado do problema, existem também estudos que mostram que quanto mais cedo os meninos são expostos à pornografia pesada que predomina na Internet, mais provável é que eles procurem prostitutas no futuro. Ela disse que as relações sexuais normais se tornam muito chatas em comparação com a pornografia, por isso eles procuram prostitutas para fugir desses cenários.

Muitas dessas mulheres são traficadas ou estão sob o controle de cafetões e não podem dizer não, disse Dines. Mas, embora existam estudos que ligam o ato de ver pornografia com a prostituição, ainda não há uma conexão documentada entre pornografia e tráfico sexual, Dines observou. Mas 40 anos de estudos mostram além de qualquer contestação os impactos da pornografia, disse ela. “A pornografia está exercendo um efeito profundo sobre a sexualidade de meninos e homens jovens.”

Filtro pornô

Smith foi alvo de manchetes este verão quando expressou seu apoio ao controverso filtro de pornografia proposto pelo primeiro-ministro britânico David Cameron. O sistema, implementado por meio de provedores de Internet, pode não ser a solução exata para o Canadá, mas ela concorda com ele, em princípio amplo.

Smith quer um sistema como o do Reino Unido, no qual os assinantes de Internet teriam de desativar manualmente o filtro para ver pornografia, e somente o titular do cartão de crédito da conta seria capaz de fazê-lo.

“Os pais em suas casas podem desativar esse filtro para ter a liberdade de assistir o que quiserem, porque nós vivemos em uma sociedade democrática”, disse Smith. Quanto aos computadores pessoais, colocar filtros e bloqueios é inútil, disse Dines. Qualquer garoto de 10 anos sabe como contorná-los. Mas ficar sem agir não é uma opção, disse ela. “Ao não fazer nada, o que nós estamos dizendo é que está tudo bem que capitalistas predadores da indústria pornográfica sejam os principais educadores sexuais dos nossos jovens – esta é a realidade.”

Smith também defende uma abordagem para a prostituição que tem como alvo os homens que compram sexo, em vez de as mulheres que o vendem. Com as leis contra a prostituição do Canadá no limbo legal depois que elas foram derrubadas pela mais alta corte de Ontário, ela poderia exercer uma influência maior dentro de uma convenção política ao levantar a questão.

 
Matérias Relacionadas