Por que o Partido Comunista Chinês culpa o Fengshui pela corrupção

Acreditando que seria nomeado vice-primeiro-ministro, Hu Jianxue desviou uma estrada sobre um reservatório, criando a necessidade de construir uma “ponte para seu futuro”. Mas em vez ser promovido, ele recebeu a suspensão de uma sentença de morte (Epoch Times)

O Fengshui está retornando na China, apesar das tentativas do regime de acabar com a cultura tradicional. Na verdade, funcionários ambiciosos estão liderando a promoção dessas práticas de geomancia e adivinhação e sendo disciplinados por corrupção no processo.

Uma pesquisa realizada em 2007 pela Academia Chinesa de Governança revelou que mais da metade dos funcionários provinciais entrevistados haviam consultado astrólogos, fisiognomonistas, intérpretes de sonho e assim por diante; muitos inclusive mantinham mestres de Fengshui para consulta.

A mídia estatal tem atacado funcionários corruptos que acreditam em Fengshui, usando-os como exemplo para provar ao público que ninguém pode escapar com tais recursos, enquanto isso, o Partido Comunista Chinês (PCC) livrar-se de seus membros não-ateus.

Um caso de grande repercussão remonta a 1995, quando Hu Jianxue, um secretário do PCC na província de Shandong, foi informado por um adivinho que seria brevemente nomeado vice-primeiro-ministro, mas aparentemente ele carecia de uma “ponte” em sua vida para isso se concretizar. Então, Hu Jianxue desviou uma estrada sobre um reservatório, criando a necessidade de se construir uma ponte. Mas em vez da promoção, ele recebeu uma sentença de morte suspensa.

Atendendo a um conselho semelhante, Cui Yanxuan, um secretário do PCC na província de Hebei, construiu fontes no formato de uma meia-lua e um Sol ao lado da secretaria provincial do governo e embutiu um velho jato J-6 na estrada próxima para promover riqueza e sucesso. Cui Yanxuan foi demitido do cargo em 2010.

O PCC é bem conhecido por promover o ateísmo de Estado, mas parece que esses oficiais não têm fé nessa ideologia.

O Dr. Frank Xie, um professor de administração da Universidade da Carolina do Sul-Aiken, disse ao Epoch Times via e-mail que o regime não pode culpar a corrupção no Fengshui ou qualquer outro elemento da cultura tradicional chinesa. Ele relacionou essa situação à recente onda de casos de corrupção envolvendo gastos de recursos públicos em jantares luxuosos com iguarias, comidas e bebidas caríssimas, dizendo que a culpa é dos próprios oficiais que simplesmente não sabem como se comportar ou empregar os recursos públicos.

Ele continuou: “Outra razão para o PCC culpar o Fengshui é querer usá-lo como bode expiatório para sua incapacidade de reduzir a corrupção e seu medo de qualquer coisa que discorde de sua doutrina ateísta, como as crenças populares em seres superiores e princípios sobrenaturais, pois isso inevitavelmente geraria questionamentos e desafios à visão materialista do PCC, a sua legitimidade e permanência no poder.”

“Em última análise, a pergunta a fazer é: Será que os oficiais corruptos do PCC realmente acreditam no Fengshui? Ou será que eles simplesmente acreditam que, ‘por via das dúvidas’, é melhor fazer algo, como uma espécie de garantia no caso de seres divinos realmente existirem?”

Cui Yanxuan construiu fontes representando uma meia-lua e um Sol ao lado da administração provincial do governo onde trabalhava e também embutiu um velho jato J-6 na estrada próxima para promover riqueza e sucesso. Ele foi demitido do cargo em 2010 (Weibo.com)
Em 2005, o então vice-governador da província de Shandong, Huang Sheng, construiu um edifício de luxo após se aconselhar com um geomante. Visto de longe, o edifício parece o caractere chinês para seu nome, levando os moradores a chamarem-no ironicamente de “Edifício Huang”. No entanto, ele nunca trabalhou no local e foi recentemente julgado por corrupção após ser expulso do PCC (Epoch Times)
Li Zhen, um ex-oficial de tributos da província de Hebei, foi aconselhado: “não mais de cinco anos e nada menos do que três”, até que se tornasse um alto oficial local. Ele pagou 5 mil yuanes a um mestre de Fengshui, que pediu mais mil yuanes para garantir que tudo corresse bem. Li Zhen lhe deu um total de 8 mil yuanes, porque o número 8 em chinês tem pronúncia semelhante a palavra riqueza. Eventualmente, ele recebeu uma sentença de morte (Epoch Times)
O ex-ministro das ferrovias Liu Zhijun era um crente convicto no Fengshui e frequentemente se consultava com especialistas para escolher datas auspiciosas para iniciar projetos de construção (STR/AFP/Getty Images)

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas