População espanhola se revolta com nova tentativa de lockdown

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

No último sábado (31/10), na Espanha, a população saiu às ruas para protestar contra a nova tentativa de lockdown por parte do governo. Trinta e duas pessoas foram presas e 12 feridas em Madri, depois do protesto contra o toque de recolher da região. Também houve protestos no fim de semana em Barcelona, ​​Málaga, Vitória, Valência, Santander e Burgos.

Conforme informou The Guargian, o “estado de emergência” permite que os governos regionais da Espanha ordenem um toque de recolher noturno das 23h às 6h, ou que comece e termine uma hora antes ou depois.

A única área da Espanha isenta do toque de recolher são as Ilhas Canárias, devido ao que o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, chamou de “a situação epidemiológica muito positiva lá”. Sánchez também pediu o fim do “comportamento violento e irracional”.

O estado de emergência também permite que os governos regionais da Espanha apliquem bloqueios totais ou parciais e limita as reuniões públicas e privadas a seis pessoas.

O partido de direita Vox, que criticou amargamente a forma como o governo socialista lida com a pandemia, vem questionando os posicionamentos ideológicos do atual governo espanhol. Seu líder, Santiago Abascal, disse que “há mais motivos do que nunca para protestar contra este governo que está nos arruinando” e pediu à polícia que proteja o direito de protestar, mas atribuiu a violência à “extrema esquerda”.

 
Matérias Relacionadas