Policiais e aldeões chineses se enfrentam em disputa de terras na província de Guangdong

Numerosos policiais tentaram derrubar uma barricada construída por aldeões numa estrada em uma província do Sul da China, como protesto pelas apropriações de terras ocorridas no fim de fevereiro
A polícia militar disparou granadas de efeito moral, gás lacrimogênio e bombas de fumaça. O conflito durou três horas até 5 a.m., quando a polícia partiu (Molihua.org)

Mais de mil policiais invadiram uma vila de Guangdong em 10 de março, num ataque surpresa para subjugar os moradores locais que têm protestado contra a apropriação de terras desde fevereiro, mas a polícia foi forçada a recuar.

As autoridades locais da cidade de Jieyang, condado de Jiexi, cortaram a energia e as comunicações na vila de Shangpu e em seguida enviaram a polícia em torno de duas da madrugada, com mais de 100 carros e guindastes, para remover veículos que foram usados como barricadas improvisadas, segundo o Sr. Shen, que vive no distrito próximo de Mainhu. Ele disse que sentinelas da aldeia usaram tambores para despertar os moradores, que chegaram ao local armados com paus, pedras e pás. Cerca de 5 mil moradores de todas as idades apareceram, muitos ficaram feridos e oito pessoas foram presas.

A polícia usou bombas de efeito moral para desorientar os moradores, bem como gás lacrimogêneo, granadas de fumaça e explosivos.

Após cerca de três horas de combate, a polícia se retirou, porém mais de dez veículos já haviam sido incendiados. Entre os muitos moradores feridos estavam crianças e idosos. Dezenas de moradores foram levados para o hospital local para tratamento, incluindo vários que tiveram sua visão danificada pelas bombas de efeito moral e que podem ficar permanentemente cegos.

Milhares de policiais militares foram despachados para a vila de Shangpu cerca de 2 a.m. de 10 de março para remover carros destruídos usados por moradores locais para bloquear uma estrada (Molihua.org)

Em 10 de março, o Epoch Times contatou a Secretaria de Segurança Pública do condado de Jiexi, mas o atendente alegou não saber nada sobre o incidente. Mais tarde naquele dia, no entanto, as autoridades de Guangdong divulgaram detalhes do confronto, dizendo que os oficiais da vila de Shangpu estavam entre os detidos.

Os moradores de Shangpu têm protestado desde 22 de fevereiro, furiosos contra os oficiais da vila pela venda sem consulta de cerca de 200 hectares de terra. Em 24 de fevereiro, oficiais da vila contrataram capangas para suprimir os moradores e cerca de 30 carros foram destruídos. Os moradores estavam descontentes que o governo local enviou a polícia para atacar a aldeia novamente, segundo um ancião da vila de Shangpu.

Embora as autoridades locais reivindiquem que o incidente foi resolvido, segundo a imprensa estrangeira, pesquisas por palavras-chave como “Shangpu” e “Jiexi” foram e permanecem censuradas na internet chinesa.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas