Polícia investiga morte de icônico crocodilo enquanto cidade australiana chora sua perda

"Considerávamos Bismarck como parte da nossa comunidade, ele era uma alma tão gentil quanto os crocodilos podem ser"

Por Tom Ozimek

A polícia está investigando a morte de um icônico crocodilo de 80 anos, que deixou uma cidade australiana de luto e moradores locais se preparando para realizar um memorial para a enorme criatura.

O corpo de 4,5 metros de comprimento do grande crocodilo de água salgada chamado Bismarck – um mascote da comunidade e atração turística – foi encontrado por um pescador local.

Ryan Moody descobriu os restos de Bismarck em Meunga Creek, em Cardwell, na semana passada, em galerias enlameadas e se decompondo.

Moody carregou imagens da cena nas mídias sociais, dizendo: “Bem, Cardwell, diga adeus a uma de suas maiores atrações turísticas. Este crocodilo nunca foi uma ameaça para os humanos”.

‘Um de nós’

“É muito, muito triste para Cardwell”, disse Thea Ormonde, residente de longa data, segundo a mídia australiana ABC.

“Viamos Bismarck como parte da nossa comunidade, ele era uma alma tão gentil quanto os crocodilos podem ser”, disse Ormonde. “Ele era um de nós.”

Ela lembrou de fazer viagens de caranguejo quando criança com seu pai e ver o enorme réptil empoleirado na margem do rio. Ormonde disse que Bismark nunca se comportou de maneira ameaçadora.

“Ele nunca foi agressivo, sempre deixava as pessoas saberem que ele estava por perto, nunca era furtivo ou atacava pessoas”, disse Ormonde.

A polícia está investigando a morte do crocodilo em Cardwell, na Austrália, depois de relatos de que o réptil pode ter sido baleado (RyanMoodyFishing.com via Storyful)

Jogo sujo

A mídia australiana ABC informou que havia evidências de que Bismarck havia sido intencionalmente morto.

“Incrível como os humanos podem simplesmente tornar as situações mais perigosas através de atos de pura estupidez”, disse Moody. “Eu me pergunto se ele gostaria que eu voltasse e pulasse em sua cabeça por uma hora com meus punhos. Provavelmente não.”

Relatos de que Bismarck foi morto a tiros levaram as autoridades a pedir mais informações ao público, com o Departamento de Meio Ambiente e Ciência de Queensland investigando o assunto, segundo o Washington Post.

A confirmação está pendente sobre a causa exata da morte, mas Moody sugeriu que Bismarck foi baleado na cabeça.

“O velho Bismarck recebeu algumas injeções de chumbo na parte de trás da cabeça” disse Moody nas redes sociais.

Penalidades severas

Sgt. Stephen Gillinder, da polícia de Cardwell, foi citado pelo The Daily Mail dizendo que, se o crocodilo tiver sido morto intencionalmente, o agressor poderá enfrentar sérias consequências.

“Dependendo da classe do animal, se eles estão ameaçados de extinção ou protegidos por lei, as penalidades podem ser severas”, disse ele.

Gillinder acrescentou que a polícia ainda está trabalhando para determinar a causa da morte do animal.

Sob a Lei de Conservação da Natureza, é crime deliberadamente interferir, prejudicar ou matar crocodilos sem autorização, com uma penalidade máxima de $29.373 (US$ 20.590).

Na prática, as multas são geralmente menos severas, como no caso recente de um fazendeiro de cana em uma localidade remota na província australiana de Queensland, que foi multado em US$ 500 por prender um crocodilo em sua propriedade, levando à sua morte.

O tribunal observou que Errol Copley, de 69 anos, armou a armadilha porque precisava entrar na água para trabalhar e temia por sua vida.

“Você disse [a polícia] que você tinha colocado a linha para ver se havia algum crocodilo na água perto da margem do rio em sua propriedade, porque você tinha que entrar na água para fazer algum trabalho na água e você estava preocupado sua segurança ”, disse a magistrada Sandra Pearson, de acordo com a ABC.

‘Bismarck estava nos protegendo’

Ormonde disse que a presença de Bismarck foi um benefício para a comunidade porque significava que os crocodilos agressivos mantinham distância.

“Bismarck estava nos protegendo porque sempre soubemos onde ele estava e ele manteve outros crocodilos machos à distância”, disse ela.

Moody foi citado pela ABC dizendo: “Eu costumava andar ao lado dele na foz do riacho Meunga enquanto reunia iscas e as jogava. Vamos apenas esperar que o grande e agressivo crocodilo do outro lado do canal não se mova”.

Gillinder disse que os crocodilos “são predadores, mas este não mostrou sinais de agressão aos seres humanos”.

“É um ecossistema tão frágil, você tem um predador no topo e eles mantêm as coisas sob controle, mas você simplesmente não sabe quem será o próximo”, disse ele.

Os moradores de Cardwell, enquanto isso, estão preparados para realizar um “dia memorial” para o réptil gigante, informou a ABC.

“Considerávamos Bismarck como parte da nossa comunidade, ele era uma alma tão gentil quanto os crocodilos podem ser”, disse Ormonde. “Queremos lembrar o gigante gentil porque ele nunca causou nenhum problema para ninguém.”

 
Matérias Relacionadas