A poesia foi soberana das artes na China antiga

A poesia foi a soberana das artes na China durante o reinado da Dinastia Tang, que durou desde o século VII até o século IX a.C. Assim como o teatro atraía as massas na Inglaterra elisabetana, e as séries de televisão cativaram os cidadãos do século XX, a poesia se difundiu entre os chineses da era Tang.

A criação poética durante este período é realmente incrível. Reunidas no início do século XVIII na China, a mais completa coleção de poemas Tang possui mais de 50 mil poemas, escritos por mais de 2.200 autores diferentes. Imperadores e ministros, monges e menestréis escreviam poesia. Havia mulheres poetas, bêbados poetas e crianças poetas. A poesia era ensinada nas escolas e praticada entre amigos, foi parte integrante da cultura e parte integrante da vida de cada pessoa que possuía educação.

Para quem desconhece a poesia Tang, leia o poema abaixo intitulado “Amanhecer em Primavera”. Escrito por Meng Haoran há mais de 1.200 anos, é o primeiro poema ensinado aos estudantes chineses quando iniciam o estudo da literatura. Mesmo depois de ler dezenas de vezes eu continuo a considerá-lo extremamente belo. Em poucas palavras, ele captura as qualidades essenciais da poesia Tang, como a simplicidade e a profunda consciência da natureza.

Os poetas Tang, como Meng Haoran, muitas vezes falam com uma sensibilidade muito próxima a nossa, com sofisticação e autoconsciência, de temperamento tanto moderno quanto clássico, sendo a principal qualidade a entoação do poeta Tang.

Amanhecer em Primavera

“De um sonho de primavera
Acordo antes do amanhecer
Em um mundo repleto
Do canto dos pássaros.

Uma noite de tempestade
Vento e chuva eu lembro
De dez mil flores
Pergunto-me quantas podem ter caído.”

Lan Hua é o pseudônimo de um escritor e tradutor de Nova York. O nome significa Flor Azul, em tributo a Red Pine (o maior tradutor dos ‘Poemas dos Mestres’) e à tradição lírica da qual faz parte

 
Matérias Relacionadas