‘Pode ficar com seu passe’: Protestos em massa surgem contra passaportes de vacina COVID-19 na França

Por Jack Phillips

Dezenas de milhares de manifestantes foram às ruas em toda a França no fim de semana para protestar contra a ordem do passaporte da vacina COVID-19 do governo, que impede que indivíduos não vacinados entrem em restaurantes e bares, bem como façam viagens de longa distância.

O Ministério do Interior da França disse à Reuters que estima-se que 215.000 pessoas protestaram, o que é um pouco abaixo das 237.000 pessoas que protestaram na semana anterior.

Os manifestantes frequentemente gritavam “liberdade”, “passe igual a apartheid” e “pode ficar com seu passe”, referindo-se ao passaporte da vacina. Alguns cidadãos franceses disseram à mídia que se juntaram às manifestações porque os passaportes COVID-19 limitam suas liberdades e são uma forma de segregar a sociedade para fins políticos, ao invés de razões de saúde.

Multidões foram vistas marchando em Paris, Nice, Marselha e outras cidades francesas.

O Parlamento francês aprovou a lei de saúde COVID-19 no final de julho, exigindo que os cidadãos mostrem o passe em áreas públicas, provando que foram vacinados ou recentemente testados negativos para o vírus. O tribunal superior do país manteve a lei no início deste mês, bem como uma lei que ordena a vacinação COVID-19 para todos os trabalhadores de saúde.

E embora alguns meios de comunicação afirmem que os protestos fazem parte do movimento “antivax”, muitos manifestantes franceses disseram que apoiam as vacinas, mas não as restrições.

Manifestantes são vistos em Nantes, França, em 14 de agosto de 2021 (SEBASTIEN SALOM-GOMIS / AFP via Getty Images)

“Eu sou a favor da vacina e a tomei meses atrás, mas não o passe de saúde, o que é discriminatório”, disse um manifestante em 14 de agosto, relatou o Guardian .

Aproximadamente 1.600 policiais foram mobilizados para três marchas separadas em Paris. As autoridades não forneceram informações sobre se houve alguma prisão.

Em 13 de agosto, 46,1 milhões de pessoas na França, quase 68,5% da população, receberam pelo menos uma dose da vacina e mais de 38,8 milhões, ou 57,5%, receberam duas doses.

Pessoas participam de uma manifestação durante um dia nacional de protesto contra a vacinação COVID-19 obrigatória para alguns trabalhadores e o uso obrigatório do passe de saúde exigido pelo governo francês para acessar a maioria dos espaços públicos (Sebastien Salom-Gomis / AFP via Getty Images)

No fim de semana passado, também houve manifestações em Quebec, Canadá, que recentemente exigiram passaportes de vacina COVID-19 para restaurantes, bares e academias.

“Deve ser a escolha de cada pessoa se vai ser vacinada. Com os passaportes, é uma forma de nos obrigar ”a ser vacinados, disse Veronique Whalen, de Montreal, em comentário à França24 .

Esta semana, Nova Iorque está programada para estrear seu sistema de passaporte de vacina em restaurantes, academias, teatros e bares, mesmo que certos dados demográficos da cidade tenham taxas de vacinação muito baixas. Cerca de 67 por cento dos nova-iorquinos negros com idades entre 18 e 44 anos não receberam nenhuma dose de nenhuma vacina COVID-19 até o momento, de acordo com dados fornecidos pela cidade.

A Associated Press contribuiu para este artigo.

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

 
Matérias Relacionadas