Pirâmides financeiras na internet provocam a ambição humana

Uma pirâmide de euros (Dan Kitwood/Getty Images)

A internet torna-se o local perfeito para disseminação do esquema conhecido como pirâmide financeira – um modelo comercial que depende basicamente da troca de dinheiro pelo recrutamento progressivo de outras pessoas até tornar-se insustentável.

Uma imensa pirâmide financeira criada e operada por um até então reconhecido executivo foi um dos estopins da supercrise de 2008. Assim como o golpe do bilhete premiado, as pirâmides financeiras, em suas mais variadas versões, ainda são capazes de atrair muita gente. No âmago dessa questão, está o sonho de ganhar facilmente bem explorado por pessoas inescrupolosas.

No Brasil, esses esquemas são proibidos por lei há mais de 60 anos. A Lei 1.521, de 26 de dezembro de 1951, que trata dos crimes contra a economia popular, dispõe em seu art. 2º, inciso IX, que constitui crime contra a economia popular, punível com seis meses a dois anos de detenção, “obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos (‘bola de neve’, ‘cadeias’ e quaisquer outros equivalentes)”.

O esquema de pirâmide pode ser mascarado com o nome de outros modelos comerciais que fazem vendas cruzadas tais como o marketing multinível (MMN), que são legais.

A maioria dos esquemas em pirâmide se aproveitam da confusão entre negócios autênticos e golpes complicados, mas convincentes, para fazer dinheiro fácil. A ideia básica por trás do golpe é que o indivíduo faz um único pagamento, mas recebe a promessa de que, de alguma forma, irá receber benefícios exponenciais de outras pessoas como recompensa. Um exemplo comum pode ser a oferta de que, por uma comissão, a vítima poderá fazer a mesma oferta a outras pessoas. Cada venda inclui uma comissão para o vendedor original.

O especialista Marcos Silvestre, economista do portal financeiro “O Plano da Virada”, com MBA em Finanças pela Universidade de São Paulo e consultor de Finanças Pessoais e Empreendedorismo, explica que enquanto um esquema de pirâmide financeira é invariavelmente fraudulento, que transfere dinheiro pronto de muitos para uns poucos, um sistema de MMN pode ser sério e verdadeiramente sustentável, embora há casos em que isso não ocorra.

“O chamariz do ‘venha fazer dinheiro com a gente’ estará sempre lá; afinal, estamos falando de negócios. Um bom sinal é a promessa de ganhos atraentes, porém não milagrosos: os retornos propostos no MMN estão longe da exuberância e rapidez de uma pirâmide”, diz Marcos.

Ele ainda acrescenta que para propagandear a “grande oportunidade” de uma pirâmide financeira, logo na montagem do esquema sempre há a presença de uma ou mais figuras públicas, como atores, atletas e “celebridades”. Normalmente, trata-se de ex-famosos e atuais “quebrados”, desesperados buscando faturar algum em cima de seu passado de apelo popular. Outros, até mesmo são figuras ainda na crista da onda, famosos que não se incomodam em receber um bom jabá para promover algo desconhecido.

Já o MMN, também conhecido como marketing de rede,  é um modelo de negócio sério lícito com uma estratégia empresarial de distribuição de bens e serviços, onde a divulgação principal é feita por distribuidores independentes. Assim, constituem-se líderes que assumem o recrutamento, treinamento e monitoramento dos distribuidores da linha de produtos ou serviços. Legítimos “team builders”, ou formadores de equipes.

Marcos explica que em um sistema MMN, os líderes ganham por ter profissionais ativos em sua equipe, e ganham mais quanto maior o número de distribuidores bem sucedidos sob sua condução. Líderes dinâmicos no MMN inclusive trabalham duro para ter sua renda aumentada pela ampliação de sua equipe, formando novos líderes de distribuidores sob seu comando. E todo o sistema está focado em uma atividade que agrega valor a outros: oferecer produtos e serviços de qualidade a preços acessíveis.

Assim como o diretor comercial de uma empresa ganha mais que um gerente, que ganha mais que um vendedor, quanto mais alto na escala, tanto maior será o ganho do líder do MMN. Naturalmente, isso virá sempre acompanhado de mais trabalho e maior responsabilidade, maior habilidade e paciência empatados na arte de capacitar e orientar pessoas. A “pirâmide” do MMN é, portanto, similar à “pirâmide” das carreiras corporativas, e muito natural.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas