Pilotos da Marinha relembram encontros com OVNIs e dizem que ‘Havia algo lá fora melhor que nosso avião’

Por Samuel Allegri

Um mês antes do diretor de inteligência nacional e o secretário de defesa apresentarem um relatório de inteligência sobre UAP (fenômenos aéreos não identificados), pilotos da Marinha e outros ex-funcionários do governo estão falando e descrevendo seus encontros com os avistamentos misteriosos.

David Fravor, graduado da escola de vôo naval de Top Gun e comandante do esquadrão F / A-18F no USS Nimitz, apareceu no programa “60 Minutes” da CBS com o tenente Alex Dietrich, que voava em sua ala em 2004 quando disseram ter visto um OVNI , ou objeto voador não identificado, junto com seus companheiros que estavam nos bancos de trás.

Fravor disse que eles disseram que era “melhor” do que seu avião. Dietrich disse que nunca quis aparecer em rede nacional e que esta foi a primeira vez que falou sobre o assunto.

O encontro OVNI, que ocorreu 160 quilômetros a sudoeste de San Diego, Califórnia, foi documentado por meio de um radar, câmera e quatro pilotos navais.

Isso ocorreu depois que um novo radar avançado do USS Princeton estava detectando “vários veículos aéreos anômalos” por uma semana, de acordo com os operadores. Os “veículos” foram capazes de descer mais de 80.000 pés em menos de um segundo.

Fravor e Dietrich foram despachados com oficiais de armas nos bancos traseiros em 14 de novembro de 2004 para investigar.

Eles viram um objeto não identificado, sem asas ou marcas em uma área de águas bravas no meio de um oceano plácido.

“Então, enquanto estávamos olhando para isso, seu companheiro de banco de trás disse: ‘Ei, capitão, você …’ E enquanto ele falava, eu disse: ‘Cara, você está olhando aquela coisa aí embaixo?’”, Lembrou Fravor. “E vimos este pequeno objeto branco parecido com o Tic Tac e estava se movendo sobre a área de whitewater. ”

Dietrich circulou no topo enquanto Fravor direcionava o nariz do F-18 para o objeto para obter uma visão melhor, espiralando em direção a ele.

“O Tic Tac continuou apontando de norte a sul, ele vai, clica e vira abruptamente. E começa a me refletir. Então, quando estou descendo, começa a subir ”, disse ele, acrescentando que o objeto era aproximadamente do tamanho de seu avião, mas não tinha marcações, colunas de escapamento e asas.

O OVNI estava ciente de sua presença, pois imitava seus movimentos, disse Fravor.

“Eu quero ver o quão perto eu posso chegar. Então eu vou assim. E continuei subindo. E quando chegou bem na minha frente, simplesmente desaparece ”, disse ele. “Desapareceu. Já não estava”.

Ele também acrescentou: “Havia quatro de nós nos aviões literalmente assistindo isso por cerca de cinco minutos”, observando que mais tarde eles disseram um ao outro que se vissem o OVNI por conta própria, provavelmente não teriam dito nada. “Porque parece loucura quando eu digo isso.”

“Não sei quem está construindo, quem tem a tecnologia, quem tem cérebro. Mas há algo lá fora que era melhor do que o nosso avião. ”

Os pilotos enviaram relatórios, mas nada foi feito por cinco anos, até que Luis “Lue” Elizondo, ex-chefe do Programa de Identificação Avançada de Ameaças Aeroespaciais do governo dos Estados Unidos, decidiu investigar.

“Gastamos milhões de dólares treinando esses pilotos. E eles veem algo que não podem explicar. Além disso, essas informações são apoiadas por dados eletro-ópticos, como imagens de câmeras de armas. E por dados de radar. Agora, para mim, isso é convincente ”, disse Elizondo.

As dúvidas foram levantadas dentro do Pentágono sobre as descobertas, mas Chris Mellon, um ex-subsecretário adjunto de defesa para inteligência de dois presidentes, interveio.

“Não somos nós, isso é algo que sabemos”, disse Mellon, que tinha acesso a informações ultrassecretas do governo. “Posso dizer isso com alto grau de confiança em parte pelos cargos que ocupei no departamento e conheço o processo.”

Posteriormente, ele desarquivou e vazou três vídeos da Marinha para o New York Times.

“É estranho e lamentável que alguém como eu tenha que fazer algo assim para ter uma questão de segurança nacional como essa na agenda”, disse ele.

Outra testemunha de OVNIs, o tenente Ryan Graves, um ex-piloto da Marinha, diz que viu UAPs por anos com radar e infravermelho.

“Todos os dias. Todos os dias por pelo menos alguns anos “, disse ele no” 60 Minutes “.

Graves disse que viu um objeto girando no ar, sem colunas de exaustão.

“É muito difícil fingir isso”, disse ele. “Você tem rotação, você tem grandes altitudes. Você tem propulsão, certo? Não sei. Não sei o que é, francamente ”.

 
Matérias Relacionadas