Petição pública denuncia ‘boicote da energia limpa no Brasil’

Energia Eólica, em Neebrandenburg, Alemanha (Sean Gallup / Getty Images)
Energia Eólica, em Neebrandenburg, Alemanha (Sean Gallup / Getty Images)

Um grupo de parceiros emitiu uma petição pública contra o que chama de boicote da energia limpa e eficiente no Brasil. De acordo com o abaixo-assinado, é possível que o país seja inteiramente abastecido de eletricidade mediante energia solar e energia eólica (dos ventos).

Segundo o abaixo-assinado, o Instituto de Física de São Carlos da USP constatou que apesar de não apresentarem eficiência energética aceitável, as pesquisas têm se desenvolvido rapidamente no sentido de melhorar as novas células solares.

“A nova geração de tecnologia das células solares orgânicas é de fácil processamento, baixo custo de fabricação e muito versátil (…). É preciso um mecanismo para coordenar os vários grupos de pesquisa no Brasil a fim de viabilizar a fabricação desses dispositivos para torná-los mais eficientes na aplicação”, informou o Instituto de Física de São Carlos da USP, segundo o abaixo assinado.

De acordo com dados do World Wildlife Fund (WWF), o Brasil tem grande capacidade para gerar energia eólica devido ao volume de vento, que é duas vezes maior que a média mundial, e devido à baixa oscilação da velocidade, o que permite a previsibilidade em relação à geração de eletricidade.

Atualmente, a composição de oferta de energia primária no Brasil é proveniente de petróleo (39%), produtos da cana (15%), hidráulica (14%), gás natural (10%), lenha e carvão vegetal (9%), carvão mineral (5%), urânio (1%) e demais fontes renováveis (4%), segundo dados do ano de 2011 do Ministério de Minas e Energia.

Mauro José Sá Rego Costa, o autor do abaixo-assinado, descobriu também que muitas usinas licitadas de energia eólica estão prontas, mas paradas, sem poder gerar energia devida à falta de linhas de transmissão. Ele informou que dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) mostram que 32 dos 71 parques de energia eólica leiloados em 2009 estão parados por causa do sistema de transmissão.

“Gostaria de chegar a umas 500.000 assinaturas, o mínimo necessário para se criar um partido político no Brasil, não precisa chegar a mais de 1 milhão, necessárias para criação de uma comissão no Congresso”, disse Mauro José.

Segundo Costa, que é membro registrado do Partido dos Trabalhadores e do Fórum Pró-Secretaria Municipal de Cultura do PT do Rio de Janeiro, o abaixo assinado será enviado à presidente da República Federativa do Brasil, Dilma Roussef.

A petição pública está disponível aqui.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas