Peste bubônica se espalha na Mongólia Interior, caso suspeito relatado em Yunnan

Em agosto, as mortes causadas pela peste na Mongólia Interior foram relatadas uma após a outra

Por Alex Wu

Ainda que a pandemia de COVID-19 não tenha acabado, a peste bubônica continua a se espalhar na Mongólia Interior. Agora, um caso suspeito de peste bubônica foi relatado na província de Yunnan. A área local ativou um alerta de “nível 4” para a prevenção da peste e fez testes massivos em pacientes com a febre.

O Bureau Central de Prevenção e Controle de Peste do condado de Menghai, província de Yunnan, emitiu um comunicado em 25 de setembro, relatando que ratos com causas desconhecidas de morte foram encontrados na vila de Bianyuan no município de Xiding, no condado de Xiding. Menghai. Os ratos foram examinados pelo Centro Provincial de Controle e Prevenção de Doenças Endêmicas e pelo Centro Provincial de Controle de Doenças em 21 de setembro. Constatou-se que a praga transmitida entre os ratos ocorreu no município de Xiding.

Em 25 de setembro, um menino de três anos em Yunnan foi diagnosticado como um caso suspeito de peste bubônica.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças de Yunnan, a área local ativou um “nível 4” – o nível mais baixo em um mecanismo de resposta de emergência de quatro níveis – e iniciou uma investigação abrangente de pacientes com febre e o isolamento de pacientes suspeitos.

Em agosto, as mortes causadas pela peste na Mongólia Interior foram relatadas uma após a outra. Em 6 de agosto, um paciente de Damao Banner, cidade de Baotou, morreu de praga intestinal. Os funcionários da Baotou aumentaram os níveis de risco de “uma epidemia de peste humana se espalhando na cidade”.

Apenas dois dias depois, outra pessoa morreu de peste bubônica em Urad Qianqi, Bayannur City, Mongólia Interior. A China fechou aldeias na Mongólia Interior para conter a propagação da peste.

Na verdade, várias fontes de informação mostram que, desde o final do ano passado, a epidemia de peste continuou a aparecer em algumas províncias e cidades da China continental. No entanto, existem poucos avisos oficiais e as autoridades locais minimizaram a situação. Portanto, o mundo exterior questiona se o Partido Comunista Chinês (PCC) está encobrindo a epidemia de peste.

Por exemplo, em novembro de 2019, o aviso oficial afirmava que Pequim e a Mongólia Interior haviam confirmado casos da peste. No entanto, os residentes locais que falaram com o Epoch Times na época afirmaram que a verdadeira propagação da epidemia foi muito além disso. Mais de 300 aldeias nas províncias do norte, como a Mongólia Interior, Gansu, Ningxia, Xinjiang, Liaoning e Jilin foram completamente fechadas para evitar a propagação da peste. A comunicação nas aldeias foi cortada e policiais armados foram designados.

De acordo com o “Relatório sobre a epidemia” publicado em 13 de abril pelo Centro Compreensivo para Controle e Prevenção de Doenças da Região Autônoma da Mongólia Interior, a peste bubônica foi detectada em 21 surtos epidêmicos em 10 bandeiras e condados de quatro cidades da liga em Mongólia Interior. Em outras palavras, um terço das 12 ligas e cidades de nível provincial da Mongólia Interior já experimentou uma epidemia, de acordo com o relatório obtido pelo Epoch Times.

A peste bubônica, também conhecida como Peste Negra, causou a pandemia mais mortal da história. Possui características de início rápido, alta mortalidade e disseminação rápida. Os principais sintomas são febre alta, calafrios, gânglios linfáticos inchados e sensíveis (chamados de bubões) e fortes dores de cabeça. Em casos graves, podem ocorrer quedas de pressão arterial e perda de consciência nos estágios iniciais.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas