Pesquisadores afirmam que se você desativar o Facebook será mais feliz

Os participantes da pesquisa que desativaram o Facebook tiveram um aumento no bem-estar, tiveram menos atividade em outras redes sociais e passaram mais tempo com amigos e familiares

Por Epoch Times

Desde o escândalo envolvendo o uso de dados de usuários pela Cambridge Analytica e o pagamento a adolescentes pelo compartilhamento de suas informações, agora o Facebook está sendo exposto pela comunidade científica.

Pesquisadores da Universidade de Stanford e da Universidade de Nova Iorque publicaram em 27 de janeiro um estudo sobre o impacto causado pelo abandono do uso do Facebook no comportamento e no estado de espírito das pessoas.

A pesquisa foi realizada antes das eleições intercalares de 2018 nos Estados Unidos com 2.844 usuários que acessavam a plataforma durante mais de 60 minutos por dia. Eles foram divididos em dois grupos e apenas metade desativaria sua conta por um mês.

Durante esse período, os pesquisadores analisaram o status de suas contas online e mediram seu nível de felicidade, solidão e a emoção predominante nos últimos 10 minutos.

Entre os resultados, descobriu-se que os participantes que desativaram o Facebook tiveram um aumento no bem-estar, tiveram menos atividade em outras redes sociais e passaram mais tempo com amigos e familiares.

Imagem ilustrativa (Pixabay)
Imagem ilustrativa (Pixabay)

Em resumo, aqueles que haviam desativado seus perfis estavam mais felizes, porém menos informados e com uma notável diminuição dos sentimentos de polarização política.

“Descobrimos que quatro semanas sem Facebook melhoram o bem-estar e reduzem substancialmente a demanda após o experimento, o que sugere que forças como o vício e a projeção do preconceito fazem com que as pessoas usem o Facebook mais do que deveriam”, escreveram os autores.

“Nossos resultados também deixam claro que as desvantagens são reais. Oferecemos a evidência experimental de maior escala, que mede um amplo conjunto de impactos potenciais, tanto individualmente quanto em grupos”.

 
Matérias Relacionadas