A perda da verdadeira medicina tradicional chinesa

Na medicina tradicional chinesa, a tradição da transmissão do conhecimento de mestre para discípulo perdurou por milhares de anos.

Em 1999, dois anos depois da soberania de Hong Kong ter sido transferida para o Partido Comunista Chinês, foiram promulgados os ‘Regulamentos de Medicina Chinesa’, que tornou muito difícil continuar este tipo de transmissão genuina da medicina chinesa. Uma vez que a legislação produza o seu efeito, a tradição ‘de mestre para discípulo’ perder-se-à.

A legislação mencionada irá destruir a medicina chinesa de acordo com o Sr. Yu Hong Chao, presidente da Associação para a preservação da Antiga Medicina Chinesa e herdeiro da antiga arte de tratamento de lesões ósseas.”Esta é a principal razão pela qual a medicina chinesa está gradualmente desaparecendo” Afirma.

Por milhares de anos, a medicina chinesa tem sido transmitida de mestres como Li Shi Zen e Hua Tuo – reconhecidas figuras históricas – para seus discípulos. Um mestre passa o seu conhecido adquirido ao longo de décadas. Anteriormente, mestres passavam suas fórmulas secretas para seus discípulos ou filhos.

“O que está nos livros são apenas fórmulas com efeito reduzido ou sem efeito, mas as fórmulas do meu mestre escritas à mão são muito eficazes”, afirma Yu.

“Estas fórmulas não podem ser compreendidas sem a instrução verbal dos mestre. Estas prescrições são escritas separadamente. Para que sejam eficazes é necessário adicionar um fórmula a outra. O mestre só transmite o conhecimento a discípulos que considera qualificados”, continua Yu.

Existe uma relação predestinada entre professor e estudante. “Antes de o meu mestre ter me aceitado como seu discípulo ele observou o meu comportamento por muitos anos. No fim ele decidiu que queria ensinar-me”, explica Yu.

Antes de morrer o mestre disse a Yu, “Deves aceitar alguns bons discípulos e não deixar que este conhecimento seja perdido.”

“Contudo não posso cumprir a minha responsabilidade como seu discípulo” diz Yu, exprimindo tristeza e frustração.

Depois que os ‘Regulamentos da Medicina Chinesa’ foram introduzidos em 1999, para ser um praticante de medicina chinesa registrado e praticar legalmente, o praticantes de medicina chinesa, deve primeiro passar por exames. Adicionalmente, é necessário que tenha completado todos os cursos equivalentes ao treino aprovado pelo Conselho de Medicina Chinesa de Hong Kong.

Em discurso fúnebre, Yu escreveu dirigindo-se a seu mestre: “Mestre, antes de morreres, poderias tomar qualquer um como teu discípulo. Mas agora isto é impossível. Essa pessoa terá que ser um graduado de medicina chinesa com um certificado universitário. Caso contrário é inútil. Eu posso ensiná-lo, mas ele não pode praticar medicina pois será ilegal”

Yu tentou aceitar aprendizes e recrutar praticantes de medicina chinesa licenciados, mas foi em vão. “Eles consideram-se alunos de seus professores e que são praticantes ortodoxos de medicina. Porque aceitariam tomar a mim como seu mestre?”, afirma. Ao ver a antiga arte de tratar lesões ósseas prestes a desaparecer, Yu expressa um sentimento de impotência.

“Quando eu morrer, se [o principio] de ‘mestre para discípulo’ for ainda ilegal, irei queimar todos os meus livros de medicina”, afirma Yu. “O Governo Britânico sempre respeitou a nossa tradição cultural e respeitava o nossos sistema de medicina. Contudo, apenas dois anos após Hong Kong ter retomado o controle da China, os seus regulamentos condenam o antigo sistema de transmissão médica ao desaparecimento”

Fonte: KanZhongGuo.com

Epoch Times

 
Matérias Relacionadas