Pentágono admite financiar programa de pesquisa alienígena

Funcionários do Pentágono confirmaram que milhões em dinheiro do governo dos Estados Unidos sustentaram um programa para coletar informações sobre fenômenos aéreos inexplicados.

O ‘Advanced Aerospace Threat Identification Program’ (‘Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais’, em tradução livre) continua hoje, mas sem dinheiro do governo, de acordo com o oficial de inteligência militar Luis Elizondo, informou o New York Times. O programa recebeu financiamento do governo a partir de 2007, até ter a verba pública cortada em 2012.

Os trabalhadores do programa recolheram materiais recuperados de ovnis, examinaram pessoas que experimentaram sintomas fisiológicos depois de terem encontrado ovnis e consultaram membros militares que arquivaram relatórios após haverem avistado objetos estranhos.

O New York Times publicou filmagens do encontro de pilotos da Marinha dos EUA com ovnis, recuperados como parte do Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais. A matéria descreveu como eles se depararam com uma aeronave altamente avançada que poderia viajar extremamente rápido e deslizar sobre a água, além de se mover de maneiras que eles nunca viram um avião fazer.

Foi reportado que o programa não estava recebendo atenção suficiente, o que terminou causando a renúncia de Elizondo, que liderou o programa dentro do Pentágono. Ele ficou frustrado com a baixa prioridade dada ao programa pelo Departamento de Defesa, de acordo com o jornal.

Em sua carta de demissão, Elizondo disse que deveria ser dada mais atenção a “muitos relatos da Marinha e de outros serviços sobre sistemas aéreos incomuns que interferem com as plataformas de armas militares e que mostram capacidades além da próxima geração”. Ele também perguntou na carta: “Por que não gastamos mais tempo e esforço nesta questão?”, publicou o New York Times. Ele então nomeou um sucessor e disse que o programa continua.

Robert Bigelow fornece a experiência para executar o programa, juntamente com as instalações. Ele dirige o Bigelow Aerospace e trabalha com a NASA. Bigelow obteve sucesso financeiro com uma cadeia de aparhostels, informou a CBS. Ele direcionou esse dinheiro para sua paixão aeroespacial e por ovni. Bigelow mencionou que seus avós tiveram um encontro de ovni enquanto ele estava crescendo em Nevada, e que isso lhe deu a motivação para explorar o tema.

“Tem havido e há uma presença existente, uma presença ET. E eu gastei milhões e milhões ─ eu provavelmente gastei mais do que qualquer indivíduo nos Estados Unidos já gastou neste assunto”, disse Bigelow à CBS.

Esta não é a primeira vez que um programa deste tipo existiu. Em 1947, a Força Aérea começou a investigar as alegações de mais de 12.000 avistamentos de ovni, informou o New York Times. O programa, o qual incluiu o codinome ‘Project Blue Book’, foi encerrado em 1969 com 701 fenômenos ainda inexplicados.

NTD Television

Leia também:
Misteriosa imagem de ovni divulgada por Pentágono em meio a admissão de programa secreto
Agente veterano da CIA quebra silêncio sobre extraterrestres
Brasil oficializa procedimento sobre aparições de óvnis
NASA: Objeto não seria um OVNI, mas uma EBANI
OVNIs ‘voam em nossos céus’, diz major da Força Aérea dos EUA
Aeronave nazista é vista em céu americano

 
Matérias Relacionadas