PCC elimina sucessos de bilheteria de Hollywood para colocar sua propaganda política

Por Nicole Hao e Jennifer Bateman

Os cinemas chineses ficaram vazios de repente este mês depois que a trilogia clássica de HollywoodO Senhor dos Anéis” foi substituída por filmes de propaganda do Partido Comunista.

Em 1º de abril, o primeiro dia da troca, as receitas de bilheteria de cinco filmes pré-revolução cultural, que foram lançados pela primeira vez antes de 1965, eram zero. Três outros tinham rendimentos muito limitados. No segundo dia, sites de venda de ingressos removeram a programação dos seis filmes mais antigos.

“Esperei quase um mês pelo relançamento do épico de Peter Jackson”, postou um internauta chinês na rede social Weibo em 6 de abril. “Não irei ao cinema se eles não exibirem ‘O Senhor dos Anéis’”, disse o internauta. “Meu feliz abril se foi. Até me fez sentir que não deveria ir ao cinema em maio “, comentou outro internauta no post.

O regime chinês ordenou que todos os cinemas lançassem mais de 10 filmes de propaganda todos os meses, de abril a dezembro, para comemorar o centenário do Partido. Cada sala deve exibir pelo menos dois filmes de propaganda cinco vezes por semana.

Não está claro se os sucessos de bilheteria de Hollywood podem ser relançados na China.

Exibição de “O Senhor dos Anéis” em Beverly Hills, Califórnia, em 30 de junho de 2008 (Katy Winn / Getty Images)

O senhor dos Anéis

Este ano é o 20º aniversário de “O Senhor dos Anéis”, uma adaptação da clássica série de livros de fantasia de JRR Tolkien. Para entreter seus fãs, a trilogia planejava relançar sua versão 4K restaurada digitalmente na China em 9, 16 e 23 de abril.

Historicamente, os filmes clássicos tiveram boas bilheterias na China, embora seus primeiros lançamentos ocorressem três a quatro meses depois que nos Estados Unidos. De acordo com os recordes de bilheteria, a trilogia arrecadou mais de US$ 25 milhões de 2002 a 2004 na China.

O relançamento da trilogia atraiu fãs chineses.

Uma captura de tela postada em março no Taopiaopiao, um site de venda de ingressos de filmes online, mostra que 120.523 pessoas compraram ingressos para “O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel”; 94.153 pessoas compraram ingressos para “O Senhor dos Anéis: As Duas Torres”; e 128.084 pessoas compraram ingressos para “O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei”.

“O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel em Concerto” do NAC acrescentou uma nova dimensão ao popular filme que foi lançado com grande sucesso em 2001 (Cortesia do National Center for the Arts)

Necessidades políticas

Na China, os pedidos de propaganda ou ordens do regime têm precedência sobre os lucros do filme.

A China State Film Administration emitiu um aviso em 19 de março exigindo que todos os cinemas exibissem pelo menos dois filmes de propaganda oficialmente designados cinco vezes por semana, de 1º de abril ao final de dezembro, para ajudar a comemorar o 100º aniversário do PCC.

Em geral, os filmes de propaganda que levaram à Revolução Cultural contavam histórias sobre o PCC tomando o poder com coragem e que o povo chinês gostava de trabalhar duro para apoiar o regime. Mais tarde, filmes de propaganda na China destacaram as vitórias do PCC na guerra anti-japonesa, a Guerra da Coréia (ou como o PCC chama, a guerra para resistir à agressão americana e ajudar a Coreia) e a guerra civil entre o PCC e o Kuomintang de 1946 a 1949, bem como o amor do povo chinês pelo PCC.

A exibição obrigatória de 100 filmes vermelhos lançados pelo Departamento de Publicidade do PCC “está mais uma vez promovendo uma ideologia baseada no ódio que realmente distorce as mentes dos chineses, especialmente dos jovens, e os transforma em paranóicos psicóticos e persecutórios”. Disse Alexander Liao, um jornalista e especialista em China que contribui para o Epoch Times.

Filmes de propaganda chineses promovem as necessidades políticas do PCC, disse um comentarista chinês de atualidades. Portanto, os cinemas chineses têm que organizar a programação desses filmes.

“O mercado de filmes da China está distorcido e não importa quanto dinheiro os sucessos de bilheteria de Hollywood possam ganhar, eles ainda precisam abrir caminho para as necessidades políticas do PCC”, disse o comentarista de atualidades dos Estados Unidos Li Yanming. Epoch Times.

“Ao longo dos anos, Hollywood modificou voluntariamente seus filmes para atender aos requisitos do PCC para o mercado chinês, mas sua programação e bilheteria ainda são controladas pelas necessidades políticas do PCC”, disse Li. “Isso também é uma tragédia para Hollywood.”

 
Matérias Relacionadas