‘Patria y Vida’ entre as 50 melhores canções de 2021, segundo revista Rolling Stone

Single lançado em fevereiro é uma crítica ao regime comunista de Miguel Díaz-Canel e ao slogan castrista de 'Pátria ou Morte'

Por Alicia Marquez

A canção “Patria y Vida”, hino dos protestos pacíficos contra o regime cubano, está entre as 50 melhores canções de 2021, de acordo com a revista Rolling Stone.

A canção cubana interpretada por Yotuel Romero, Descemer Bueno, Maykel Osorbo, Eliécer Márquez Duan “El Funky” e a dupla Gente de Zona, situa-se na trigésima posição.

Patria y Vida”, o grito de guerra que os cubanos entoaram durante as manifestações na ilha durante o verão, não foi fácil de produzir. Os rappers Maykel Osorbo e El Funky, de Havana, gravaram secretamente seus versos e os enviaram a seus colaboradores Yotuel Romero, Gente de Zona e Descemer Bueno para serem mixados nos Estados Unidos”, escreveu a Rolling Stone, na segunda-feira.

“Assumimos um risco que, para muitos, destacou o perigo de fazer arte dissidente em Cuba, principalmente após a prisão de Osorbo, onde está desde maio. E permaneceu lá quando ‘Patria y Vida’ ganhou o prêmio de Canção do Ano no Grammy Latino, um importante reconhecimento que só reforçou o peso emocional e a força do hino de protesto.”

“Assumimos um risco que, para muitos, destacou o perigo de fazer arte dissidente em Cuba, principalmente após a prisão de Osorbo, onde está desde maio. E permaneceu lá quando ‘Patria y Vida’ ganhou o prêmio de Canção do Ano no Grammy Latino, um importante reconhecimento que só reforçou o peso emocional e a força do hino de protesto.”

Osorbo, que também é cofundador do Movimento San Isidro, continua preso pelo regime comunista cubano desde maio passado. O cantor enfrenta acusações de suposta resistência e desordem pública. Em meados de novembro, eles relataram que sua saúde está grave e sua vida está em perigo na prisão.

Por outro lado, Anyelo Troya, o produtor do vídeo de “Patria y Vida”, foi preso e condenado em julho a um ano de prisão, junto com outras 11 pessoas, após um julgamento sumário. Após poucos dias, ele foi colocado em prisão domiciliar e proibido de sair do país.

O single foi lançado em fevereiro como uma crítica ao regime comunista de Miguel Díaz-Canel e ao slogan castrista de “Pátria ou Morte”. A música atualmente tem quase 10 milhões de visualizações no YouTube.

“Patria y Vida” ganhou dois prêmios no Grammy Latino de “Melhor Canção Urbana” e “Canção do Ano” três dias após a Marcha Cívica de 15 de novembro na ilha.

“Esta não é uma nomeação para nós, artistas, é uma nomeação para o povo cubano que anseia por sua liberdade”, acrescentaram os artistas em seu Instagram.

Em declarações à agência EFE, a ativista cubana, Rosa María Payá, afirmou que “Pátria e Vida é a canção do ano e é fantástico que a indústria fonográfica a reconheça”.

“Não só pelo valor da música, da poesia e da atuação de seis maravilhosos músicos cubanos, mas porque transcende o mundo do entretenimento para falar às consciências do povo cubano e dos cidadãos do mundo”, acrescentou.

Payá afirmou que “Patria y Vida faz o que a arte é exaltada a ser: a conscientização da sociedade e, portanto, também um fator de mudança”.

Com informações da agência EFE.

Siga Alicia Márquez no Twitter: @AliceMqzM

Entre para nosso canal do Telegram.

Assista também:

 
Matérias Relacionadas