Parler pode ser obrigado a encerrar operações

John Matze, fundador da rede social que não persegue nem censura usuários, admite que boicotes à empresa colocam em risco existência da plataforma

Por Leonardo Trielli, Senso Incomum

Após Google e Apple banirem o aplicativo de suas lojas oficiais e a Amazon cancelar a hospedagem do site nos seus serviços, o fundador e CEO do Parler, John Matze, disse que sua empresa foi praticamente abandonada por todos os seus parceiros de negócios.

“Todos os fornecedores, de serviços de mensagens de texto, provedor de e-mail e até o time de advogados nos dispensaram no mesmo dia”, disse Matze, em entrevista à comentarista Maria Bartiromo, na Fox News, admitindo que as proibições e a fuga de fornecedores podem tirar a empresa do mercado.

“Vamos tentar o nosso melhor para voltar a ficar online o mais rápido possível. Mas estamos tendo muitos problemas porque todos os fornecedores com quem falamos dizem que não trabalharão conosco. Porque se a Apple não aprovar e o Google não aprovar, eles não irão [trabalhar com o Parler].”

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas