Parlamento do Reino Unido realiza fórum contra extração forçada de órgãos na China

“Os vilões do abuso de transplante de órgãos serão levados à justiça. A justiça tarda mas, mesmo na China, não falhará.”

Assim o sr. David Matas, advogado internacional de direitos humanos, terminou seu discurso num fórum ocorrido no Parlamento do Reino Unido em 25 de novembro de 2014. O fórum requisitava ajuda do governo para acabar com a extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong vivos na China sancionada pelo regime comunista chinês.

O Democrata Liberal MP Julian Huppert e a vice-prefeita de Enfield e Conselheira do Bairro de Enfield em Londres Ingrid Cranfield coorganizaram o fórum. David Kilgour, ex-Secretário de Estado Canadense para a Ásia-Pacífico; o especialista sobre a China e escritor Ethan Gutmann; e o Dr. Alex Chen, representante dos Médicos contra a Extração Forçada de Órgãos (DAFOH, sigla em inglês) também discursaram no evento.

Extração forçada de órgãos ainda continua

Dr. Alex Chen, representante da DAFOH, revisou a análise do número de transplantes de órgãos realizados em países asiáticos na década passada. A pesquisa da DAFOH indica que os transplantes de órgãos dispararam na China em 2001.

Um número crescente de pessoas próximas a países asiáticos foram para a China procurando transplantes de fígado, coração e rins. O número decaiu em 2007, quando a extração forçada de órgãos de praticantes do Falun Gong vivos foi exposta internacionalmente e a investigação independente de David Matas e David Kilgour receberam atenção mundial.

Porém, a extração de órgãos sancionada pelo regime comunista continua até hoje, de acordo com Dr. Chen.

‘Uma vez que as pessoas sejam informadas, elas tendem a entrar em ação’

Ingrid Cranfield, vice-prefeita de Enfield e Conselheira de Bairro de Enfield, Londres, foi convidada para a Exibição Internacional de Artes Verdade-Compaixão-Tolerância há dois anos e ficou chocada com a brutalidade da perseguição. Ela ficou determinada a fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para acabar com isso.

A vice-prefeita Cranfield disse: “Pouco a pouco, vocês informaram as pessoas sobre isso [extração forçada de órgãos de praticantes de Falun Gong vivos pelo Partido Comunista Chinês]. Uma vez que as pessoas sejam informadas, elas tendem a entrar em ação… Para que o mal vença, só é preciso que as pessoas boas não façam nada. O mínimo que cada um puder fazer deve ser feito. Cada um pode fazer algo. Isto trará uma transformação.” A vice-prefeita Cranfield espera que o Parlamento continuará a prestar atenção à causa e fazer algo para parar a perseguição.

‘Uma grave violação aos Direitos Humanos e genocídio’

O sr. Richard Wingfield representa uma organização pelos direitos humanos sediada em Londres. Ele disse: “É claramente um crime contra a humanidade. Isto se refere a tirar a vida de uma pessoa. É uma forma de tortura bem como uma invasão à dignidade de uma pessoa. E tem como alvo um grupo específico de pessoas. Falun Gong e as pessoas com suas crenças particulares são marginalizadas e servem de alvo.

“É uma grave violação dos direitos humanos e genocídio quando um certo grupo de pessoas é alvo e está sendo sistematicamente explorado e assassinado para a obtenção de lucro.”

O sr. Wingfield acredita que a sociedade internacional é responsável por impedir este crime. Ele disse que sua organização vai trabalhar no sentido de informar as pessoas ao redor do mundo acerca da extração forçada de órgãos na China.

Desfecho inexorável

O sr. Matas disse que o Partido Comunista Chinês (PCC) tem que responder às alegações em face da crescente pressão internacional. O Partido negou à alegação, como de costume. Mas Matas declarou: “Os vilões do abuso de transplante de órgãos serão levados à justiça. A justiça pode tardar mas, mesmo na China, não falhará!”

O sr. David Kilgour revisou os avanços dos esforços internacionais para embargar a extração forçada de órgãos. Ele disse: “Quanto mais pessoas souberem disso, menos pessoas irão à China por um transplante de órgãos. Ele declarou que seu objetivo é que cada pessoa que pretenda ir à China por um transplante de órgãos desista, não importa de qual país ela seja.”

Este foi o terceiro fórum de grande porte ocorrido no Parlamento do Reino Unido pela DAFOH. Dando continuidade a este evento, David Kilgour, David Matas e Ethan Gutmann discursaram em fóruns na Assembléia Nacional de Gales e no Parlamento Escocês.

 
Matérias Relacionadas