Para unir a América, vamos voltar à tradição e rejeitar o PCC

Americanos devem entender que o Partido Comunista Chinês é a maior ameaça aos Estados Unidos

Por Conselho Editorial do Epoch Times

Após uma eleição altamente disputada, nossa nação precisa encontrar unidade, já que as tensões continuam altas e as divisões são profundas.

Sugerimos que os americanos encontrem unidade somando forças para se opor a um inimigo que por décadas procurou destruir nossa nação e ao renovar a tradição que ajudou a moldar e guiar nosso país.

Mais do que o bem-estar dos Estados Unidos está em jogo. A América é o líder do mundo livre; a unidade ou divisão da América – e sua prosperidade ou declínio – é vital para o destino dos povos do mundo.

Os americanos devem entender que o Partido Comunista Chinês (PCC) é a maior ameaça aos Estados Unidos. O PCC tem trabalhado consistentemente para minar os Estados Unidos, um plano que está quase concluído.

O PCC não apenas destruiu a manufatura americana, roubou centenas de bilhões de dólares em propriedade intelectual e tecnologia militar, mas também se infiltrou em todos os aspectos de nossas vidas. A estratégia do PCC é dividir a sociedade incitando o ódio. É a mesma estratégia que ele usou para tomar o poder na China: colocar um grupo contra outro. Por exemplo, grupos relacionados ao PCC ajudaram a instigar motins em nossas grandes cidades no verão passado.

Ao promover os serviços 5G da Huawei, o PCC está tentando invadir nossas telecomunicações, o sistema nervoso de nosso país. Com BeiDou, a versão do regime chinês do GPS (Sistema de Posicionamento Global), e sua capacidade de alvejar satélites, o PCC desenvolveu a capacidade de cegar nossos militares. Ao aumentar recentemente a pressão sobre a Austrália, o PCC está tentando quebrar a aliança ocidental que visa conter a influência do Partido Comunista.

Com a iniciativa Um Cinturão, Uma Rota, à qual muitas nações aderiram, o PCC tenta formar uma base econômica e militar para se opor à potência mundial livre, os Estados Unidos. O regime comunista nunca parou de considerar os Estados Unidos como seu inimigo número 1.

Na verdade, a opinião americana reconhece a importância de combater a China.

Um grande motivo pelo qual as pessoas votaram em Trump em 2020 é que o viram contra a China e defendendo os Estados Unidos. Um grande motivo pelo qual as pessoas votaram em Biden é que acreditavam que ele poderia controlar melhor o vírus do PCC.

Há um consenso no Congresso para se opor ao PCC. Se o presidente Joe Biden puder seguir a linha anticomunista, ele será capaz de proteger o país com uma política que une a direita e a esquerda.

Desmoralização

Infelizmente, a capacidade da América de adotar uma forte política anticomunista é prejudicada pelas maneiras como o PCC  tem afetado nossa cultura. Os comunistas tentaram enfraquecer o Ocidente minando seus fundamentos: moral, tradição, família e fé em Deus.

Trinta e cinco anos atrás, o desertor da KGB Yuri Bezmenov já alertava sobre as tentativas da União Soviética de enfraquecer os Estados Unidos.

“A ideologia do marxismo-leninismo está sendo bombeada nas cabeças moles de pelo menos três gerações de estudantes americanos, sem ser desafiada ou contrariada pelos valores básicos do americanismo e patriotismo americano”, disse Bezmenov em uma entrevista em 1985. A desmoralização em processo nos Estados Unidos está basicamente completo. […] A maior parte é feita por americanos contra americanos por falta de padrões morais”.

Estamos vendo agora os resultados deste processo de desmoralização de décadas. Está tudo ao nosso redor, em nossas escolas, na mídia, no cinema e na música, e até mesmo na publicidade que vemos.

Bezmenov alertou: “Uma pessoa desmoralizada não consegue avaliar informações verdadeiras. Os fatos não dizem nada. Mesmo se eu o inundar com informações, evidências autênticas, documentos, fotos – mesmo se eu o levar à força para a União Soviética e mostrar a ele [um] campo de concentração – ele se recusará a acreditar até que receba um chute em seu traseiro gordo. Quando a bota militar bater em você, você entenderá, mas não antes. Essa é a tragédia da situação de desmoralização”.

Tradição

Felizmente, os Estados Unidos têm recursos disponíveis para nos ajudar a escapar dessa tragédia.

A tradição da América fornece os princípios morais e políticos da nação, seus heróis e histórias que dizem aos americanos quem eles são. Isso une os americanos em um propósito comum que os inspira e lhes dá um propósito.

Durante os motins BLM e Antifa no verão, esses grupos radicais visaram diretamente a tradição da América. Em dois meses, eles destruíram cerca de 188 estátuas, incluindo as dos nossos pais fundadores George Washington e Thomas Jefferson, bem como as de Jesus Cristo e da Virgem Maria.

Em planos como o Projeto 1619 do New York Times, você vê uma tentativa de deslegitimar nossa tradição, de reinterpretar toda a história americana como se fosse apenas sobre o pecado da escravidão. Esta é uma estratégia tipicamente comunista. Esses tipos de ações planejadas e executadas para destruir a tradição de um país foram repetidas antes em todos os regimes comunistas.

Apagar a memória da nossa própria história e criticar os nossos heróis e os grandes símbolos da nossa vida nacional, faz com que as pessoas se percam. Uma nação perde o espírito que a guia. Assim começa o claro declínio de um país.

Numa das faces da nossa moeda aparece o lema “Em Deus confiamos”. Na outra, “E Pluribus Unum”, que em latim significa “De muitos, um”. Ambos estão relacionados.

A América foi fundada por pessoas que buscavam a oportunidade de adorar a Deus livremente.

Nossa nação, ao confiar em Deus, foi abençoada. Temos sido um farol de liberdade para o mundo, desfrutamos de uma prosperidade sem precedentes e ajudamos a espalhar a prosperidade pelo mundo.

Em nossa Declaração de Independência, afirmamos que nossos direitos são um dom divino.

Reconhecemos que nossas liberdades e as limitações dessas liberdades vêm de uma fonte maior do que nós. Essa fonte comum e os direitos e deveres que confere fornecem a base para uma unidade de princípios.

Nossa tradição, ao valorizar a família, ensinar moralidade e honrar o patriotismo, expressa ainda mais essa unidade.

Diante do ataque do comunismo, nossa nação está em uma encruzilhada. Cada pessoa, de todas as esferas da vida, incluindo aqueles que trabalham no governo, grandes empresas de tecnologia, a mídia e corporações, precisam fazer a escolha certa.

A solução para esta crise é clara: nossa nação precisa reviver a tradição que nos dá nossa liberdade e nossa unidade, e usar essa força renovada para finalmente derrotar o comunismo.

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 

 
Matérias Relacionadas