Pacheco defende a China e pede saída de Ernesto Araújo

Por Bruna Lima, Terça Livre

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Congresso Nacional, voltou a criticar na sexta-feira (26) a atuação do Ministério das Relações Exteriores (MRE) sob o comando de Ernesto Araújo.

A declaração veio após uma reunião informal com o presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta manhã, na residência oficial do presidente do Senado.

De acordo com a Agência Brasil, Bolsonaro realizou uma visita de cortesia a Pacheco.

“A permanência ou a saída do ministro, qualquer que seja ele, inclusive do ministro de Relações Exteriores, é uma decisão que cabe ao presidente da República. O que nos cabe enquanto Senado federal, Câmara dos Deputados, enquanto parlamento, é cobrar ações, fiscalizar. Nós consideramos que a política externa do Brasil ainda está falha. Ela precisa ser corrigida, ela precisa melhorar a relação com os demais países, inclusive com a China, que é o maior parceiro comercial do Brasil”, disse Pacheco.

Nos últimos dias tem se montado uma frente de oposição que tem pedido a saída de Ernesto Araújo do Ministério das Relações Exteriores.

Os parlamentares tanto da Câmara quanto do Senado têm tomado essa posição em motivação da ruptura ideológica que o governo Bolsonaro tem feito com a China. Nessa esteira, governadores também se manifestaram favoravelmente à mudança.

“O presidente [Bolsonaro] apenas ouviu e veremos o que pode ser feito. Com ministro A ou B, o importante é que o ministério funcione”, declarou o presidente do Senado e aliado do ex-presidente da casa, Davi Alcolumbre.

Em seu mandato como chefe do Senado, Alcolumbre também buscou estreitar laços com a China.

Na Câmara dos Deputados, o presidente Arthur Lira (PP) também tem declarado nos últimos dias seu apoio à China e a suposta necessidade de parceria com o país governado pelo Partido Comunista Chinês.

Na última quarta-feira (24) após uma reunião que definiu a criação de um Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19, Lira afirmou em discurso que o Brasil deve “ter boas relações diplomáticas, sobretudo com a China.”

Além disso, no dia 9, o deputado também enviou uma carta ao embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, fazendo um apelo para que o país ajude o Brasil a realizar uma campanha de vacinação em massa, conforme noticiamos.

Quinta-feira  (25) o senador Rodrigo Pacheco já havia declarado “veladamente” seu apoio à saída de Ernesto do MRE.

No Twitter o jornalista e correspondente internacional do Terça Livre, Allan dos Santos, comentou a atuação dos políticos no Brasil.

“Presidentes da Câmara e do Senado falando com DITADOR GENOCIDA CHINÊS e pedindo a cabeça de MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Isso NÃO é motivo suficiente para DESPERTAR?”, indagou.

Até o momento, o presidente Bolsonaro ainda não se pronunciou sobre alguma mudança no Ministério.

 
Matérias Relacionadas