ONU envia helicópteros para deter avanço de rebeldes no Congo

Nos últimos dias, os rebeldes lançaram ataques perto de Goma, capital da província de Kivu do Norte, na República Democrática do Congo (Junior D. Kannah / AFP / Getty Images)

Rebeldes bem armados estão avançando ao leste da República Democrática do Congo (RDC) com o objetivo de tomar a cidade de Goma. O exército nacional apoiado por forças de paz das Nações Unidas estão tentando parar seu avanço.

Helicópteros de ataque da ONU foram selecionados para afastar os rebeldes do M23, que romperam com o exército congolês em abril e são chefiados pelo suposto criminoso de guerra, o General Bosco “O Exterminador” Ntaganda. No mês passado, a vizinha Ruanda foi acusada de financiar os combatentes rebeldes. Nos últimos dias, os rebeldes lançaram uma nova ofensiva em Kivu do Norte, utilizando armas pesadas, disseram as Nações Unidas neste sábado.

Os novos ataques por parte do M23 levaram o Conselho de Segurança a discutir a melhor forma de lidar com os rebeldes. Os membros do Conselho expressaram preocupação com a “rápida deterioração da segurança e a crise humanitária” devido as ofensivas do M23.

“Os membros do Conselho de Segurança demandam o fim de todo e qualquer apoio externo no financiamento ou fornecimento de equipamentos para o M23”, segundo o comunicado de imprensa do Conselho de Segurança, sem dar maiores detalhes sobre qual entidade está apoiando os rebeldes. O Secretário da ONU, Ban Ki-moon, também telefonou para o presidente de Ruanda, Paul Kagame, e para o Ministro das Relações Exteriores da RDC, Raymond Tshibanda, para falar sobre a agravação dos problemas e de formas para resolver a crise.

Kivu do Norte é rica em recursos naturais, incluindo uma série de minas de ouro ilegais onde trabalhavam crianças, de acordo com o Enough Project. O M23 está tentando restabelecer o controle sobre o comércio de ouro, tomando áreas nessa província.

Em Goma, capital do Kivu do Norte, membros do exército nacional foram vistos fugindo em grandes números, enquanto centenas de civis também deixaram suas casas com o avançado do M23, informou a Al-Jazeera, citando uma fonte da ONU. O aeroporto de Goma foi fechado no domingo e os funcionários da ONU foram orientados para ficar dentro de casa.

Um porta-voz do M23 disse à mídia que os rebeldes “responderão” caso a força de paz da ONU os ataque. Os rebeldes, aparentemente, estão muito bem equipados, com óculos de visão noturna e morteiros.

Aproximadamente mais 4 mil pessoas fugiram para o campo de Kanyaruchinya, que fica próximo a cidade de Kibati, onde já residem cerca de 80 mil refugiados, disse a ONU.

Na semana passada, as Nações Unidas acusaram grupos rebeldes, incluindo o M23, de assassinar centenas de pessoas brutal e arbitrariamente em Kivu do Norte e do Sul. Algumas vítimas foram esfaqueadas ou incendiadas.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas