Onda de calor castiga o sul da China, matando pelo menos 10

Cidadãos de Nanjiang escapam da onda de calor numa piscina pública (Weibo)

Desde 29 de julho, altas diárias superiores de 40 graus Celsius foram relatadas em 43 cidades e condados do sul da China, segundo o Centro Nacional de Meteorologia da Administração Meteorológica da China (AMC). Pelo menos 10 mortes relacionadas com o calor foram relatadas após altas temperaturas cobrirem 19 províncias no sul da China desde o início de julho, segundo vários meios de comunicação chineses.

Em 30 de julho, o Nível 2 de Emergência do Alerta Nacional de Calor foi emitido; o nível de alerta de calor mais alto emitido até então, informou a AMC. A partir das 14h de 30 de julho, pelo menos uma dúzia de cidades foi atingida por temperaturas altas recordes por mais de 10 dias consecutivos.

Entre elas, a cidade de Changsha, na província de Hunan, registrou o período mais longo da alta de temperatura do verão, até agora 39 dias, quebrando seu recorde anterior. E foi seguida de perto pela cidade de Chongqing, na província de Sichuan, com 30 dias e pela cidade de Shanghai com 24 dias, segundo o jornal Changsha Evening.

Jornalistas na Estação de Televisão de Shanghai demonstraram ser capazes de cozinhar um grande pedaço de carne no chão do lado de fora do edifício em apenas 10 minutos. Fotos de bacon e peixe crus cozinhando no chão também apareceram em muitos sites chineses.

Mas parece que as autoridades locais não ficaram satisfeitas com os relatos da mídia. Em 1º de agosto, o governo da cidade de Shanghai afirmou que reportar sobre o clima de alta temperatura sem a permissão das autoridades é ilegal e pode resultar em multa de até 50 mil RMB (US$ 8.160), segundo o site chinês Sina.com.

Contínuas altas de temperatura têm resultado num aumento do número de pacientes que sofrem de insolação, o que é causado pela exposição excessiva ao sol ou calor. Mortes por hipertermia foram relatadas em várias cidades, incluindo Shanghai, Nanjing na província de Jiangsu e Shaoxing na província de Zhejiang.

Sinais e sintomas de insolação incluem altas temperaturas corporais de mais de 40°C, pele seca, confusão mental, desorientação e alterações do sistema nervoso central, como delírio, convulsões ou coma. A taxa de mortalidade vítimas de insolação pode ser tão elevada como 50 a 70% sem tratamento imediato.

O número de vítimas de insolação também aumenta com as vítimas no interior de construções, que representam 30% dos casos, e pelo menos 10 pessoas morreram de insolação sem esforço físico, informou o Chinanews.com.

“Recentemente tem havido mais vítimas de insolação sendo levadas para hospitais por ambulância, possivelmente devido às altas temperaturas em Shanghai nos últimos tempos”, disse o Centro Municipal de Controle e Prevenção de Doenças de Shanghai.

De acordo com a Zhejiang Online (Zjol.com.cn), o 2º Hospital Municipal de Shaoxing, em Zhejiang, tem recebido mais de 10 vítimas de insolação diariamente, algumas delas estão sendo monitoradas e tratadas em unidades de terapia intensiva.

A longa onda de calor de um mês deverá continuar por pelo menos mais 10 dias, disse a AMC em 30 de julho. Temperaturas diárias em muitas áreas do sul da China devem superar os 35°C até 8 de agosto e algumas cidades ao sul do rio Yangtzé podem experimentar altas recordes, segundo as previsões meteorológicas para estas regiões.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas