OMS: surto de varíola do macaco se espalhou para mais de 20 países

OMS não “sabe se estamos apenas vendo a ponta do iceberg [ou] se há muito mais casos não detectados nas comunidades”

Por Jack Phillips 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na sexta-feira que está investigando cerca de 200 casos de varíola do macaco em 20 países que geralmente não são conhecidos por sofrerem surtos do raro vírus semelhante à varíola.

Aproximadamente 200 casos confirmados e mais de 100 casos suspeitos de varíola do macaco foram relatados até agora, disse Maria Van Kerkhove, líder técnica para a COVID-19 da OMS, segundo a CNBC. Mais casos do vírus provavelmente serão relatados à medida que a vigilância da doença continuar.

A recente disseminação do vírus parece ter ocorrido em dois eventos semelhantes a raves na Bélgica e na Espanha nos últimos dias, enquanto os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a OMS sugeriram que a varíola do macaco está se espalhando principalmente por homens homossexuais.

Não está claro se houve alguma morte associada ao recente surto de varíola, que é considerada endêmica em vários países africanos e relacionada à varíola. Funcionários do CDC disseram que os Estados Unidos têm dezenas de milhões de vacinas para a varíola que podem ser usadas para lidar com a propagação do vírus, se necessário.

“O primeiro sequenciamento do vírus mostra que a cepa não é diferente das cepas que podemos encontrar em países endêmicos e (esse surto) provavelmente se deve mais a uma mudança no comportamento humano”, disse a Dra. Sylvie Briand, diretora de pandemia e doenças epidêmicas da OMS, segundo a Associated Press.

Briand também disse que, com base em como os surtos anteriores da doença na África evoluíram, a situação atual parecia controlável.

Ainda assim, ela disse que a OMS espera ver mais casos relatados no futuro, observando que a agência não “sabe se estamos apenas vendo a ponta do iceberg [ou] se há muito mais casos não detectados nas comunidades”.

Na quinta-feira, a diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse que nove casos de varíola do macaco foram relatados em sete estados dos EUA até agora. Casos foram descobertos na Califórnia, Flórida, Massachusetts, Nova Iorque, Utah, Virgínia e em Washington.

O primeiro caso de varíola do macaco dos EUA foi relatado em Massachusetts em 18 de maio. Logo depois, as autoridades confirmaram um caso na cidade de Nova Iorque antes que as autoridades de saúde relatassem casos em outros estados.

“Esses casos foram suspeitos por médicos locais. Eles foram identificados por laboratórios locais e desencadearam ações de saúde pública locais para ajudar no tratamento e gerenciamento de quaisquer contatos potenciais”, disse Walensky a repórteres.

Quando solicitado a comentar se o governo implementará alguma regra sobre a varíola, como fez com a COVID-19, o presidente Joe Biden disse a repórteres que é provável que o governo federal não emita quarentenas obrigatórias. No início deste mês, autoridades na Bélgica implementaram um requisito obrigatório de quarentena de 21 dias para indivíduos que contraíram o vírus.

Biden e outros funcionários da Casa Branca disseram que a varíola dos macacos não é transmitida tão facilmente quanto a COVID-19, a doença causada pelo vírus do Partido Comunista Chinês (PCCh).

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas