OMS atualiza sobre surto de varíola em meio ao processo de liberação de vacina do CDC

“Também é muito importante que este surto limitado tenha excelente coordenação e colaboração global”

Por Jack Phillips 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que, embora o surto de varíola seja incomum, ele pode ser contido, segundo um funcionário da agência de saúde da ONU.

“Não é algo que vimos nos últimos anos”, disse Sylvie Briand, diretora do departamento de prevenção e preparação para epidemias e pandemias da OMS, à Bloomberg News na terça-feira. A doença, disse Briand, “ainda pode ser contida” e que os países podem impedir sua propagação ao conscientizar as pessoas sobre os sintomas do vírus.

“Também é muito importante que este surto limitado tenha excelente coordenação e colaboração global”, acrescentou. “Precisamos compartilhar informações, compartilhar recursos de diagnóstico e compartilhar dados”.

Algumas autoridades de saúde alertaram que a varíola parece estar se espalhando principalmente por contato sexual e, na segunda-feira, autoridades da OMS sugeriram que homens homossexuais parecem ser os que correm maior risco de transmiti-la. Nomeadamente, David Heymann, um especialista em doenças infecciosas da OMS de longa data, disse à Associated Press na segunda-feira que o surto de varíola dos macacos está ligado à transmissão sexual do vírus em dois eventos na Espanha e na Bélgica.

“Alguns grupos podem ter uma chance maior de exposição agora, mas de forma alguma o risco atual de exposição à varíola dos macacos é exclusivamente para a comunidade gay e bissexual nos EUA”, disse o Dr. John Brooks, diretor médico da divisão de HIV e AIDS dos CDC dos EUA. Mas ele ainda observou que “muitos dos afetados no atual surto global foram identificados como homossexuais”.

Brooks disse que o CDC quer que as pessoas saibam sobre os sintomas e a transmissão do vírus devido a eventos e desfiles LGBT que ocorrem no fim de semana do Memorial Day. Ele e outras autoridades de saúde disseram que a varíola não se espalha da mesma maneira que a COVID-19 e a disseminação respiratória não é a principal preocupação.

“Posso informar que houve um pedido de liberação da vacina Jynneos do estoque nacional para alguns dos contatos de alto risco de alguns dos primeiros pacientes, o que está acontecendo ativamente agora”,disse a Dra. Jennifer McQuiston, diretora da Divisão de Patógenos e Patologia de Alta Consequência do CDC, à CNN na segunda-feira.

A varíola do macaco, que é um parente da varíola, é endêmica em vários países africanos e se espalha através do contato próximo com fluidos corporais. Os sintomas incluem dores no corpo, febre, linfonodos inchados, erupções cutâneas e lesões conhecidas como “varíola” que se espalham por todo o corpo.

A OMS identificou na terça-feira 131 casos em todo o mundo, com a maioria deles ocorrendo na Espanha, Portugal e Reino Unido. Vários casos ou possíveis casos foram relatados nos Estados Unidos, inclusive em Massachusetts, Nova Iorque, Utah e Flórida.

Como o vírus da varíola está relacionado à varíola, a vacina contra a varíola pode proteger os indivíduos contra a varíola, segundo o site do CDC. O Estoque Nacional Estratégico dos EUA tem suficientes vacinas contra a varíola para dar a todas as pessoas nos Estados Unidos, disse o CDC.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas