Oficial norueguês: COVID-19 agora pode ser comparada à gripe, país remove restrições de pandemia

Por Jack Phillips

A Noruega vai acabar com todas as restrições relacionadas a COVID-19 a partir de sábado, 25 de setembro, anunciou o governo, juntando-se a uma lista crescente de países e estados que removeram as restrições à pandemia.

“Já se passaram 561 dias desde que introduzimos as medidas mais duras na Noruega em tempos de paz … Agora é hora de voltar a uma vida normal no dia a dia”, disse a primeira-ministra Erna Solberg em entrevista coletiva na sexta-feira.

O vírus agora pode ser considerado uma das várias doenças respiratórias com variação sazonal, disse Geir Bukholm, o diretor assistente do Instituto Norueguês de Saúde Pública, de acordo com a mídia local. Na Noruega, a COVID-19 foi classificada como uma doença geralmente perigosa, mas a classificação oficial pode mudar em breve, disse ele.

“Estamos agora em uma nova fase em que devemos olhar para o coronavírus como uma das várias doenças respiratórias com variação sazonal”, disse Bukholm ao noticiário VG, referindo-se ao vírus do PCC (Partido Comunista Chinês).

“Isso ocorre porque a grande maioria das pessoas em risco está protegida”, disse Bukholm, referindo-se à campanha de vacinação do país.

A Noruega não exigirá mais que as empresas implementem medidas de distanciamento social e também permitirá que espaços esportivos e culturais, bem como restaurantes, usem sua capacidade total, disse o gabinete do primeiro-ministro. Boates também podem reabrir sob as novas diretrizes.

“Vivemos muito tempo com medidas rígidas nas fronteiras. Isso tem sido importante no combate a infecções importadas. Quando agora passamos para um cotidiano normal, o governo propõe uma redução gradual das restrições à entrada no país. Isso acontecerá sob estreita supervisão ”, disse a ministra da Justiça e Gestão de Emergências, Monica Mæland, em um comunicado no site do governo, de acordo com uma tradução.

O país vai permitir também viagens sem restrições de alguns países, nomeadamente de países europeus, os chamados “países da lista roxa”, e do Reino Unido.

Solberg já havia implementado as três primeiras etapas de um plano de quatro etapas para remover as restrições sociais e econômicas impostas desde março do ano passado, mas a etapa final foi adiada várias vezes em meio a preocupações com as taxas de infecção.

“Resumindo, agora podemos viver normalmente”, disse Solberg.

O primeiro-ministro alertou, no entanto, que quem contrair a COVID-19 ainda deve se isolar para evitar a propagação do vírus. Algumas restrições ainda serão aplicadas aos que chegam de países considerados com um alto índice de infecções, disse o governo.

A vizinha Suécia, no início deste mês, anunciou que removerá a maioria de suas restrições COVID-19.

Um anúncio do governo sueco em 7 de setembro disse que as restrições a locais públicos como restaurantes, teatros e estádios serão removidas em 29 de setembro.

“A proposta significa que quaisquer restrições de participação que possam ser necessárias para reuniões públicas e eventos públicos com 15.000 ou mais participantes não devem ser aplicadas se o sistema de certificados de vacinação for usado”, disse o comunicado do governo. “Isso significa que o organizador não será obrigado a limitar o número de participantes em instalações e áreas ou espaços delimitados que o organizador tem à sua disposição, se houver restrições quanto a isso.”

De acordo com o Instituto Norueguês de Saúde Pública, cerca de 67% da população está totalmente vacinada.

A Reuters contribuiu para este relatório.

 

Entre para nosso canal do Telegram

Siga o Epoch Times no Gettr

Veja também:

 
Matérias Relacionadas